sexta-feira, 17 de maio de 2013

Das três filhas de Marx, duas se suicidaram

Foto de autor desconhecido. Jenny Laura Marx, 1860.
Vi, no blog do professor Romano, essa nota do Images&Visions (Fernando Rabelo) e achei interessante transcrever aqui. Provocar mortes parece ter sido uma sina do notório filósofo Karl Marx. Seus inscritos forneceram base para o fascismo, o nazismo e o comunismo que, somados, levaram para a eternidade mais de 160 milhões de pessoas (por baixo). Agora fico sabendo que de suas três filhas, duas se suicidaram. De fato, suicídios acontecem nas melhores famílias, mas duas vezes numa mesma família, dá o que pensar, pois não? 

O tragicômico da nota fica por conta de Lênin dizer que um socialista não podia se suicidar enquanto pudesse servir a causa. Kct, o socialista não tem direito à individualidade nem para decidir a própria morte.

A Filha Karl Marx

Esta é Jenny Laura Marx (1845-1911), a segunda filha do filósofo Karl Marx. Jenny Laura se casou com o escritor e ativista político Paul Lafargue. Em 1911, os dois cometeram suicídio injetando ácido cianídrico. O pacto de morte do casal causou uma verdadeira comoção no socialismo internacional. Lenin afirmou na época que um socialista não podia se suicidar, enquanto pudesse servir a causa. Lafargue tinha 55 anos de militância e Laura esteve sempre envolvida na causa socialista. Duas das três filhas de Marx que chegaram à idade adulta se suicidaram.

0 comentários:

Postar um comentário

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites