Aserá,

a esposa de Deus que foi apagada da História

Intelectuais lançam manifesto

contra cultura do cancelamento da esquerda identitária

Aborto seletivo e infanticídio de meninas

provocam déficit de 23 milhões de mulheres no mundo

História do Futebol Feminino:

superando pobreza, preconceito e descrença

terça-feira, 27 de outubro de 2020

Magalu é companhia brasileira com mais mulheres em seu conselho de administração

Apenas 7% dos conselhos de administração de 275 empresas com ações na bolsa de valores de
São Paulo, a B3, são presididos por mulheres – um deles é o do Magalu, com Luiza Helena Trajano
(Foto: Divulgação)
O Magalu é a companhia brasileira com a maior concentração de mulheres em seu conselho de administração, com três no board, o equivalente a 43% do total de sete assentos

De cada 100 vagas nos conselhos administrativos das principais empresas do Brasil, apenas 11,6 são ocupadas por mulheres, segundo levantamento realizado pela Teva Índices, em parceria com a corretora Easynvest, que destrinchou as posições de liderança em 275 empresas listadas na B3, a bolsa de valores de São Paulo, com capitalização mínima de R$ 300 milhões.

São só 214 mulheres para 1.846 assentos. Apenas 19,3% das empresas pesquisadas têm duas ou mais mulheres no conselho, e 48% são conduzidas por conselhos exclusivamente masculinos.

Quando se olha para os cargos mais elevados, a participação feminina é ainda menor: do total de conselheiros homens, 6% são CEOs, na comparação com 1% das mulheres. E apenas 7% dos conselhos são presididos por lideranças femininas.

No Magazine Luiza, a situação é diferente: 43% das vagas no conselho de administração são ocupadas por mulheres – são elas a empreendedora Luiza Helena Trajano, a consultora Betania Tanure e a administradora Ines Correa de Souza.

Apenas cinco empresas brasileiras, dentre as pesquisadas, têm três mulheres nesses cargos. Em termos percentuais, nenhuma supera os 43% do Magalu – a empresa segunda colocada tem 33% de participação feminina. 

Na média mundial, segundo um relatório global e anual realizado pela Mercer, as mulheres ocupam apenas 23% dos cargos de nível executivo, e 29% dos postos de nível sênior. Mas esse é um cenário em rápida transformação entre as empresas dos países desenvolvidos.

Ao valorizar as lideranças femininas, o Magalu segue uma tendência internacional – o banco Goldman Sachs, por exemplo, anunciou em janeiro que não vai mais realizar IPO (ou oferta pública inicial de ações) para empresas americanas e europeias que não tenham mulheres em seus conselhos. Coautora do estudo da Teva, a Easynvest vai recomendar a seus clientes que priorizem as ações das empresas que se destacaram por valorizar a diversidade no mais alto posto de gestão.

Do interior de São Paulo

Luiza Helena Trajano sustenta uma trajetória que comprova a capacidade das mulheres em construir empresas de grande porte e enorme sucesso. Nascida em Franca, no interior de São Paulo, Luiza começou a trabalhar como balconista na loja dos tios, chamada A Cristaleira. Tinha 12 anos e queria juntar dinheiro para comprar presentes de Natal para a família e os amigos.

A tia, Luiza Trajano Donato, realizou um concurso cultural numa rádio local para que os moradores da cidade escolhessem um novo nome para a loja. Foi assim que surgiu o Magazine Luiza. Depois da primeira experiência como balconista, a sobrinha manteve contato com a empresa, até que, aos 18 anos, tornou-se funcionária efetiva.

Luiza Helena formou-se em direito e em administração e percorreu diferentes setores da empresa. Tornou-se presidente da rede – atualmente, o CEO é seu filho, Frederico Trajano, enquanto ela preside o conselho de administração.

Além das atividades na companhia, Luiza preside o Grupo Mulheres do Brasil, um movimento suprapartidário fundado em 2012 para discutir e implementar medidas capazes de aumentar a participação feminina na sociedade. Ela conduz muitas das reuniões do grupo, que já conta com mais de 33 mil participantes.

E assim mantém o Magalu como uma empresa que lidera o incentivo à participação feminina nos mais altos postos de comando das maiores companhias do País.

Clipping Magalu: alma e gestão femininas, Marie Claire, 15/10/ 2020.

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites