"Neurosexismo":

contra o progresso da igualdade de gênero - e da própria ciência

O sequestro do termo "gênero":

uma perspectiva feminista do transgenerismo

Mulheres na Ciência

Estudantes criam bactéria que come o plástico dos oceanos

Mulheres na Ciência:

Duas barreiras que afastam as mulheres da ciência

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

O espírito empreendedor é o bem em si mesmo!

Militante esquerdista agride o secretário de Cultura do Estado,
Andrea Matarazzo (PSDB) durante inauguração do MAC
(domingo). Eis aí um exemplar do tipo que diz que o espírito
empreendedor é o mal em si mesmo.
O blogueiro Sakamato, do UOL, escreveu um texto intitulado Pinheirinho, Brasil e a tragédia do desenvolvimento, sobre a polêmica da desocupação da favela do Pinheirinho em São José do Campos (SP), que mistura questões pertinentes com afirmações falaciosas e parciais. A pior delas é a de que o mal em si é o espírito empreendedor capitalista e burguês (sic). 

A mentalidade que produz declarações dessa natureza é fruto da lavagem cerebral esquerdista, feita na cabeça das últimas gerações, desde o primeiro grau até o chamado nível superior, sobretudo em faculdades de humanidades e comunicação. Estão produzindo esquerdofrênicos em massa nessas faculdades, incapazes de reconhecer a realidade objetiva.

Basta fazer algumas perguntas para atestar a percepção distorcida da realidade que tem esse pessoal.  Quem põe comida no prato de seu Sakamoto e de todos nós? Quem o veste? Quem construiu o espaço onde ele mora? Com certeza não vive embaixo da ponte. E mesmo se vivesse, quem construiu a ponte? O carro que seguramente tem? Os aparelhos eletrônicos, o PC que ele utiliza para dizer besteiras esquerdiotas? Deus!!??

Realmente! O espírito empreendedor capitalista e burguês tirou a humanidade das trevas da Idade Média e do imobilismo social e a trouxe para um mundo onde, segundo os cientistas, até a morte natural poderá ser vencida em uns 50 anos. A miséria e a barbárie humanas eram muito piores antes do advento do espírito empreendedor burguês, na verdade, o espírito dos servos, párias que se mudaram para os burgos (as incipientes cidades europeias) e, como tinham muitos filhos, uma prole extensa, passaram a ser conhecidos como proletários. Foi parte desses proletários que, tomados pela necessidade de sobrevivência e o espírito do empreendedorismo, passou a criar produtos para vender aos seus iguais e não mais apenas para a nobreza, vindo com o passar dos anos a formar a burguesia.

Por outro lado, as pretensas alternativas ao mundo burguês até hoje foram o fascismo, o nazismo e sobretudo o comunismo, onde o espírito empreendedor humano se quedou atrelado ao Estado ou acabou destruído completamente. O resultado: estagnação econômica, fome em massa, escravização, campos de concentração, milhões de mortos. Então, parafraseando Churchill, não é difícil ver porque o capitalismo é o pior sistema econômico à exceção de todos os outros. Ou há quem queira voltar para o imobilismo feudal ou totalitário, bem parecidos, diga-se de passagem?

Assim, ao contrário do que diz Sakamoto, o espírito empreendedor capitalista, que nada mais é que o espírito criativo humano, é o bem em si mesmo e não o mal. Os empreendedores brasileiros, por exemplo, que nos servem com seu talento e esforço, são verdadeiros heróis, pois conseguem produzir apesar da burrocracia sufocante e dos  altos impostos de um país amarrado ao atraso. São uma maioria de micros, pequenos, médios e até grandes empreendedores, gente honesta que trabalha e move o Brasil. Nada tem a ver com especuladores e esses megaempresários vigaristas que estão aí de negociatas com o Estado petista (dito de esquerda), conformando esse neofascismo de canalhas chamado capitalismo de Estado.

Quanto à violência na tal favela do Pinheirinho, é preciso ver que toda a desocupação de uma área, mesmo que a polícia não erga o braço para dar uma cacetada é uma ação violenta. Bombas de efeito moral também não são confete. Balas de borracha muito menos. No entanto, são ações permitidas à polícia, com algumas variações, em todo o mundo, dentro do marco legal. Como disse em outro texto, não vi imagens do tal massacre que afirmaram ter ocorrido no Pinheirinho até agora, nem os tantos feridos, muito menos os mortos. No massacre do Carandiru, ninguém teve dificuldade em apresentar os 112 corpos dos detentos.

Fora isso, existe a notória incompetência e negligência de nossas "autoridades" para tratar da questão habitacional do país. A mobilização correta neste caso é para que os governos envolvidos, no caso Pinheirinho, realmente cumpram o que estão prometendo e forneçam moradia para as pessoas desalojadas. Tudo o mais é manipulação sórdida do PT, manipulação da miséria alheia com vistas, em primeiro lugar, à disputa eleitoral pela prefeitura de São Paulo* e, segundo - com seus comparsas esquerdopatas - ao solapamento do Estado de Direito no país a fim de instalar-se no poder indefinidamente e criar uma espécie de China tupiniquim sem as qualidades dos chineses mas com a mesma falta de liberdade de que eles padecem.

Vivemos um cenário propício a esse tipo de gente e suas ideias nefastas por causa da quase ausência de oposição parlamentar no Brasil e da crise econômica internacional. Por isso, todo o cuidado é pouco para que, em vez de renovar o capitalismo diminuindo seus efeitos colaterais negativos, reflexos do lado escuro da alma humana, não se caia de novo nas trevas de regimes totalitários.

* A Veja desta semana classificou a estratégia do PT de velha AgitProp leninista, método que consiste em agitar os miseráveis nas ruas até a polícia vir bater neles. Aí é só filmar, fotografar e exibir nas eleições como prova de como o governo é cruel.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

O Brado Retumbante - episódio 8

O Brado Retumbante, no geral, apresenta um retrato da política corrupta de um Brasil fictício contra a qual o presidente Ventura tenta se levantar. Fictício naturalmente em termos, pois a série projeta nas telas o Brasil real e as verdadeiras quadrilhas que se instalaram no poder com todas as suas ramificações pela sociedade. Os personagens do bem (apesar de mulherengo e trair a esposa, Ventura é anticorrupto) falam às vezes de forma meio panfletária, dando a impressão de que suas falas saíram da boca da oposição civil ao atual governo. Entretanto, tal fato não chega a comprometer, e é muito bom ver a televisão brasileira fazendo o desnudamento da degeneração sem precedentes que, sobretudo, os últimos anos de governos petistas trouxeram ao país.

Neste episódio, as alusões a Lula, na pessoa de um ex-presidente corrupto e moribundo que tem crise de consciência no fim da vida, são muito claras. É o episódio mais panfletário de todos, com os personagens caprichando nas mensagens à nação brasileira como, por exemplo, a da necessidade de que todos se interessem por política e combatam a corrupção. Ventura assume um relacionamento com a assessora Fernanda e com o futuro do Brasil. 

Há quem veja semelhanças entre Ventura e Aécio Neves. Só se for na aparência e no apetite por mulheres. No resto, Aécio é um banana que faz alianças inaceitáveis. Ventura, apesar de certos titubeios, peita as máfias da política em prol do país.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

O Brado Retumbante - episódio 7

Antonia deixa o presidente por outro homem
O Brado Retumbante, no geral, apresenta um retrato da política corrupta de um Brasil fictício contra a qual o presidente Ventura tenta se levantar. Fictício naturalmente em termos, pois a série projeta nas telas o Brasil real e as verdadeiras quadrilhas que se instalaram no poder com todas as suas ramificações pela sociedade. Os personagens do bem (apesar de mulherengo e trair a esposa, Ventura é anticorrupto) falam às vezes de forma meio panfletária, dando a impressão de que suas falas saíram da boca da oposição civil ao atual governo. Entretanto, tal fato não chega a comprometer, e é muito bom ver a televisão brasileira fazendo o desnudamento da degeneração sem precedentes que, sobretudo, os últimos anos de governos petistas trouxeram ao país.

Neste episódio, Ventura descobre que era o próprio genro que havia tentado incriminá-lo em conluio com seus inimigos políticos  no Congresso. Por outro lado, vê-se às voltas também com a revelação de que sua mulher se apaixonara por outro homem, um escritor/historiador argentino, e que o estava deixando.

Ventura fica tão arrasado com a situação que negligencia até suas obrigações profissionais como presidente, para alegria da oposição que dança e rola sobre seu infortúnio. Neste episódio, acho que a série se perdeu um pouco. Por mais dolorosa que seja uma separação nesses termos, ainda por cima noticiada nacionalmente, nenhuma pessoa adulta deixaria a presidência da república às moscas para ficar enchendo a cara devido à dor de corno. Também ficou sem continuidade o pós-declaração do genro de Ventura sobre as acusações de que ele  teria caixa dois na Argentina. Os mandantes da incriminação do presidente no Congresso permaneceram impunes em seus cargos e continuaram aprontando como se verá.

Enfim, nada é perfeito!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

O Brado Retumbante - episódio 6

O Brado Retumbante, no geral, apresenta um retrato da política corrupta de um Brasil fictício contra a qual o presidente Ventura tenta se levantar. Fictício naturalmente em termos, pois a série projeta nas telas o Brasil real e as verdadeiras quadrilhas que se instalaram no poder com todas as suas ramificações pela sociedade. Os personagens do bem (apesar de mulherengo e trair a esposa, Ventura é anticorrupto) falam às vezes de forma meio panfletária, dando a impressão de que suas falas saíram da boca da oposição civil ao atual governo. Entretanto, tal fato não chega a comprometer, e é muito bom ver a televisão brasileira fazendo o desnudamento da degeneração sem precedentes que, sobretudo, os últimos anos de governos petistas trouxeram ao país.

Neste episódio, o foco do enredo foram as armações da oposição para incriminar o presidente Ventura e o chefe de gabinete da presidência, Saldanha, que culminam em processo de impeachment, e o surpreendente envolvimento da mulher de Ventura com um historiador argentino.

Campanha eleitoral petista já começou

Esquerdopatas atacam Kassab
Embora 90% dos brasileiros sejam favoráveis à internação compulsória dos viciados em crack, para tratamento, "movimentos sociais" chamam a ação do prefeito de São Paulo, no sentido de desocupar a chamada Cracolândia, de ser contrária aos direitos humanos.

Embora o governo federal pudesse ter desapropriado a área do tal Pinheirinho, pagando em juízo o valor do terreno e recorrido à Justiça estadual  para suspender a reintegração de posse, "preferiu" deixar o abacaxi para o governo estadual e o prefeito de São José dos Campos descascar. A intenção óbvia foi tirar proveito dos inevitáveis conflitos que ocorrem em desocupações de casas e terras, com objetivos partidários e eleitorais, manipulando o povo e criando factóides para uma imprensa cada vez mais vendida espalhar.

Chegaram a dizer que teria havido mortes na tal desocupação. Tive a pachorra de ver 4 vídeos sobre o assunto, falando em massacre do povo do local, da velha turminha vermelha de sempre, para tirar dúvidas sobre a veracidade das acusações de tanta violência. Fora uma cena em que um policial de fato dá umas cacetadas em um homem, aparentemente sem razão, nem sequer um ferido aparece em todos os quatro vídeos que assisti. Só tem falação. Mas falam de massacre.

Todos os anos eleitorais em São Paulo, a máfia petista busca criar conflitos de rua a fim de poder acusar o  governo de desrespeito aos direitos humanos, ao povo, aos pobres, aos frascos e comprimidos, acionando os chamados movimentos sociais, nada além de braços armados do petismo e do esquerdismo anacrônico e autoritário.

Ontem, em pleno aniversário de São Paulo, foram à Praça da Sé para protestar contra a desocupação da Cracolândia e do Pinheirinho, atacaram o carro do prefeito Kassab e partiram para a pancadaria como fazem desde a época de Mário Covas, agredido por um dos membros da gangue também em uma manifestação (2000). No vídeo abaixo um deles agride um repórter do Estadão que o filmava tentando esvaziar o pneu do carro do prefeito. 

A campanha do petista Haddad à prefeitura de São Paulo já começou! Até o fim do ano, desta vez, a facistada vermelha é bem capaz de produzir um cadáver para jogar nas costas do PSDB que continua mais perdido que cego em tiroteio. E, nós, paulistanos, é que temos que pagar por essa corrida de ratos pelo controle da cidade mais importante do país. Malditos!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

O Brado Retumbante - episódio 5

Júlio/Julie
O Brado Retumbante, no geral,  apresenta um retrato da política corrupta de um Brasil fictício contra a qual o presidente Ventura tenta se levantar. Fictício naturalmente em termos, pois a série projeta nas telas o Brasil real e as verdadeiras quadrilhas que se instalaram no poder com todas as suas ramificações pela sociedade. Os personagens do bem (apesar de mulherengo e trair a esposa, Ventura é anticorrupto) falam às vezes de forma meio panfletária, dando a impressão de que suas falas saíram da boca da oposição civil ao atual governo. Entretanto, tal fato não chega a comprometer, e é muito bom ver a televisão brasileira fazendo o desnudamento da degeneração sem precedentes que, sobretudo, os últimos anos de governos petistas trouxeram ao país.

Neste episódio em particular, fora os problemas com narcotraficantes na fronteira boliviana, Ventura se vê às voltas com o retorno de seu filho e agora filha transexual Julie e sua dificuldade de lidar com a situação. Como os tempos são outros, apesar dos conservadores, Ventura acaba até fazendo pronunciamento, em cadeia nacional, onde pede desculpas à filha pela dor que lhe causou por seus preconceitos e onde afirma esperar que todos os homossexuais possam vir a viver num mundo mais inclusivo. 

Para compensar as baixarias do BBB 12, O Brado Retumbante em seu quinto episódio abaixo!

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Homenagem a Etta James

Etta James faleceu dia 20, sexta-feira, aos 73 anos, no hospital Riverside na Califórnia, vítima de várias enfermidades, como leucemia, hepatite C e demência. Lenda do blues, do rhythm and blues, do soul, do jazz e até do rock, Etta James passou a vida lutando contra a obesidade e a dependência de drogas enquanto encantava as plateias com suas músicas fundamentais.

Sua voz poderosa foi reconhecida num coral de música gospel e levada ao sucesso já em 1950, com a música Wallflower, após ter sido descoberta pelo produtor Johnny Otis, quando se apresentava em São Francisco com sua banda The Peaches (o nome da banda era apelido da cantora). 

Desde então, Etta foi pavimentando seu caminho para o estrelato com músicas como, entre outras, Stormy Weather, A Sunday Kind of Love, All I Could Do Is Cry, At Last, Tell Mama, I'd Rather Go Blind. Entre estas, destacam-se como hits de todos os tempos, a romântica At Last e a visceral I'd Rather Go Blind, que reproduzo abaixo.

Com sua obra, Etta venceu três prêmios Grammy e foi incluída no Rock and Roll Hall of Fame e na Blues Hall of Fame. Em 1995, escreveu uma pungente autobiografia, chamada Rage to survive (em tradução livre, Força para Sobreviver) e, em 2008, teve sua vida interpretada, por Beyoncé Knowles, no filme Cadillac Records. Aliás, Beyoncé é uma das artistas que assume dever sua carreira à influência de Etta assim como Tina Turner, Bonnie Raitt e Christina Aguilera.

Rest in peace, Etta. See you later!



segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

O Brado Retumbante - episódios 3 e 4

A Globo faz porcarias como o BBB 12 mas também produções de qualidade sobretudo nas minisséries. É o caso de o Brado Retumbante, com 8 episódios, que estreou na terça-feira, como comentei aqui na segunda passada.

Não tive tempo de ver os primeiros capítulos pela TV, mas os vi pela Internet, pois um generoso os postou no youtube e com boa resolução. O único porém é que ele cortou, diz que por receio do youtube deletar sua conta, as cenas mais calientes do protagonista, Paulo Ventura, com a médica que o trata (veja os episódios para entender).

De qualquer forma, no geral, a série apresenta um retrato da política corrupta de um Brasil fictício contra a qual o presidente Ventura tenta se levantar. Fictício naturalmente em termos, pois a série projeta nas telas o Brasil real e as verdadeiras quadrilhas que se instalaram no poder com todas as suas ramificações pela sociedade. Os personagens do bem (apesar de mulherengo e trair a esposa, Ventura é anticorrupto) falam às vezes de forma meio panfletária, dando a impressão de que suas falas saíram da boca da oposição civil ao atual governo. Entretanto, tal fato não chega a comprometer, e é muito bom ver a televisão brasileira fazendo o desnudamento da degeneração sem precedentes que, sobretudo, os últimos anos de governos petistas trouxeram ao país. 

Como estão pedindo para todos divulgarem a série, não poderia eu me fazer de rogada. Decidi então postar no blog os episódios que já rolaram e, se o generoso acima citado também postar os demais, igualmente os colocarei por aqui. 

Hoje posto o terceiro e o quarto episódios da série. Assim, amanhã, terça-feira, quando a série retorna ao ar, às 23:30, os leitores do blog poderão acompanhá-la sem problemas. Quando assistir, clique no símbolo de tela inteira, no canto direito do vídeo, pois, como a resolução é boa, a imagem fica quase como numa TV.


domingo, 22 de janeiro de 2012

O Brado Retumbante - episódios 1 e 2

A Globo faz porcarias como o BBB 12 mas também produções de qualidade sobretudo nas minisséries. É o caso de o Brado Retumbante, com 8 episódios, que estreou na terça-feira, como comentei aqui na segunda passada.

Não tive tempo de ver os primeiros capítulos pela TV, mas os vi pela Internet, pois um generoso os postou no youtube e com boa resolução. O único porém é que ele cortou, diz que por receio do youtube deletar sua conta, as cenas mais calientes do protagonista, Paulo Ventura, com a médica que o trata (veja os episódios para entender).

De qualquer forma, no geral, a série apresenta um retrato da política corrupta de um Brasil fictício contra a qual o presidente Ventura tenta se levantar. Fictício naturalmente em termos, pois a série projeta nas telas o Brasil real e as verdadeiras quadrilhas que se instalaram no poder com todas as suas ramificações pela sociedade. Os personagens do bem (apesar de mulherengo e trair a esposa, Ventura é anticorrupto) falam às vezes de forma meio panfletária, dando a impressão de que suas falas saíram da boca da oposição civil ao atual governo. Entretanto, tal fato não chega a comprometer, e é muito bom ver a televisão brasileira fazendo o desnudamento da degeneração sem precedentes que, sobretudo, os últimos anos de governos petistas trouxeram ao país. 

Como estão pedindo para todos divulgarem a série, não poderia eu me fazer de rogada. Decidi então postar no blog os episódios que já rolaram e, se o generoso acima citado também postar os demais, igualmente os colocarei por aqui. 

Hoje posto os dois primeiros e amanhã o terceiro e o quarto. Assim, na próxima terça, quando a série retorna ao ar, às 23:30, os leitores do blog poderão acompanhá-la sem problemas. Quando assistir, clique no símbolo de tela inteira, no canto direito do vídeo, pois, como a resolução é boa, a imagem fica quase como numa TV.



sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

"Feministas" usam caso Daniel e Monique como pretexto para censurar imprensa

Caso Daniel e Monique como pretexto para censurar imprensa
Que o BBB 12 é uma porcaria não é nenhuma novidade, como todo reality show, diga-se de passagem. Mas milhões de pessoas se amarram nesse tipo de programa em todo o mundo e só resta, para quem é democrata, respeitar o gosto ainda que duvidoso dos outros. Ademais, temos o controle remoto que nos dá o direito de escolher outra coisa melhor para ver.

Então, nenhuma novidade a baixaria da cena real ou encenada do abuso da tal Monique. Foram ao fundo do poço em busca de audiência. Agora, a Monique não é nenhuma pobre coitada vítima do lobo mau. Segundo palavras da própria (ouçam a gravação da moça no outro post que escrevi a respeito do tema http://bit.ly/zhlZzb), estavam ela e o tal Daniel nas preliminares quando ela capotou devido à bebedeira. O resto é a perfomance do rapaz sob o edredom, o que nos leva a crer que ele, também alto pela bebida, deu continuidade ao que ambos haviam começado, situação que legalmente pode ser considerada estupro de vulnerável, pois supostamente a moça estava inconsciente. E isso cabe à investigação policial determinar e, se for o caso, punir.

Mas como não podia deixar de ser, agora feministas, tirando casquinha do assunto, resolveram fazer campanha contra a Globo, intitulada Pela imediata responsabilização da TV Globo no caso BBB. Trata-se de mais uma campanha moralista da turminha que trata as mulheres sempre como vítimas e não como sujeitos políticos que assumem riscos, cometem imprudências, e devem também arcar com as consequências do que fazem. Trata-se daquela ala de feministas, chamadas no exterior de feministas de gênero em oposição às feministas pela igualdade, que rotulam simplesmente de machistas qualquer pessoa, homem ou mulher, que não vê as situações com a parcialidade e o sexismo às avessas que as caracterizam. Trata-se sobretudo de feministas, aqui no Brasil, na maioria ligadas ao petismo, que querem utilizar do episódio para tentar, mais uma vez, efetivar a obsessão da sigla de fazer o controle social da mídia, a regulação dita  democrática, eufemismos com os quais buscam esconder seu caráter autoritário de óbvia censura aos meios de comunicação.

A Globo não me obriga a assistir as porcarias que faz. Essa ala de feminismo que se tornou tristemente hegemônica no Brasil e no mundo, além de falar em nome de todas as mulheres sem ter sido eleita para isso, quer me tirar o direito de escolher o que ver e o que ler, se assim tiver condições de fazê-lo. Isso é muito mais obsceno do que o suposto ato de abuso do tal Daniel que atingiu uma mulher em particular e não a todas as mulheres. 

Essa campanha é mais uma do tipo "me engana que eu gosto" para pegar os incautos que, irritados com as baixarias do BBB 12, podem apoiar a saga autoritária dessa gente que quer impor sua maneira de pensar ao conjunto da sociedade e nos tirar o direito de escolher o que queremos ou não queremos ver, ler, comprar, e inclusive em quem votar, pois são favoráveis à famigerada lista fechada. Todos os chamados blogs progressistas, quer dizer, chapas-branca, sustentados com dinheiro público, estão encampando o tal manifesto. Boa razão para ser contra e muito. 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Programas úteis e grátis para PC e Web

Apanhando para ver um vídeo, baixado da Internet, no Real Player, pois ele travava o tempo inteiro, saí em busca de outras alternativas de player e aproveitei para ver programas gratuitos e alternativos aos já tradicionais e muitas vezes super-caros softwares, por exemplo, de editoração.

O resultado foi o seguinte:

1. Players

GOM Player
Robusto tocador, gerenciador e gravador de arquivos, trabalha com codecs e tem suporte a legendas. Baixe por aqui.

Kantaris Media Player 
Player simples, mas eficiente. Tem as funções básicas, parecendo com o Windows Media Player, no visual e nas demais características, embora menos pesado. Baixe por aqui.

2. Editores de imagem

GIMP
Se não dá para ir de Photoshop, o GIMP quebra um bom galho como ferramenta para tratamento e edição de imagens. É bastante eficiente. Baixe por aqui.

SumoPaint
Na área dos editores online de imagens, o SumoPaint se destaca, oferecendo várias ferramentas para tratamento das imagens, com a vantagem de se não pesar no seu PC. Baixe por aqui.

3. Antivirus

Nesse departamento, pessoalmente, prefiro me garantir com programas pagos mesmo. Todavia, para não ficar completamente desprotegida (o) ao navegar pela Internet, melhor baixar de qualquer forma um antivirus gratuito. Dois deles se destacam em termos de eficiência, segundo os entendidos no assunto:

Avast! Free Antivirus
Bem conhecido, o Avast! Free Antivirus é competente, robusto, com menu em português e proteção contra páginas de internet maliciosas, e-mails com anexos suspeitos e outras ameaças digitais. Já analisa o PC antes do sistema operacional carregar, caçando o vírus antes que se alastre no Windows em funcionamento. Baixe por aqui.

Avira AntiVir Personal
Também bastante popular, o Avira AntiVir Personal - FREE Antivirus é rápido e ágil, caçando vírus, trojans, programas de backdoor, hoaxes, worms, discadores automáticos, com uma das mais altas taxas de detecção de ameças digitais do mundo digital. Baixe por aqui.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

O caso do "estupro" no BBB 12

Daniel e Monique
Raramente vejo TV aberta. Quando muito o Jornal Nacional ou outro do gênero. Aderi à TV paga para ter uma programação de melhor qualidade, coisa que parece estar com os dias contados. Sob a desculpa de democratização da TV, seriados e filmes estrangeiros agora só passam dublados.

Os dubladores devem estar contentes, mas eu não. Detesto filme ou qualquer programa dublado mesmo quando o som original vem em língua que desconheço completamente. Nem dá para entender, do ponto de vista lógico ao menos, porque dublar programas da TV paga, já que quem arca com os custos de uma NET, por exemplo, tem perfeitas condições de ler legenda. No mínimo, a dublagem deveria ser opcional, mas o que pretendem é obrigar a dublagem de até 70% da programação da TV paga. Fim da picada, como quase tudo que ocorre nesse país do lulopetismo.

Mas indo à vaca fria, o assunto do momento na Web é o suposto estupro ocorrido no BBB 12, um reality show que, como todos do gênero, já é em si mesmo uma baixaria.  Dois dos participantes do lindo programa, foram filmados em cena íntima na cama do Quarto Floresta, na madrugada de domingo. Após festa regada a muita bebida, os brothers e sisters foram para a cama e, no caso em questão, Daniel parece ter tirado partido de uma Monique inconsciente pelo porre. Observando o vídeo abaixo, com a referida cena, percebe-se que a moça fica imóvel durante todo o tempo do presumido abuso.

O assunto foi parar no Trending Topics (porque não há assunto mais importante a se debater no país), com gente pedindo a expulsão do rapaz do famigerado BBB 12, fato ocorrido na noite de segunda, sob a justificativa de que o comportamento do brother na noite da festa foi gravemente inadequado. O caso também foi parar na polícia que abriu registro de ocorrência a fim de apurar se houve estupro, no caso estupro de vulnerável, por Monique estar supostamente inconsciente, para gaudio das feministas que, com honrosas exceções,  adorariam tirar das mulheres o direito de decidir sobre a violência sexual ou doméstica em quaisquer circunstâncias. Os ativistas negros, por sua vez, a maioria racista às avessas, já acusam Deus e todo o mundo de haver pressionado a saída do modelo do BBB 12 por racismo.

Eles que são fanáticos que se entendam, mas, para quem analisa de forma mais objetiva e distanciada o "causo", com base nos vídeos que reproduzo abaixo, pode tirar conclusões mais sensatas. Ambos os participantes desse imbróglio estavam alcoolizados e na fase dos amassos quando Monique capotou na cama devido à bebedeira. Daniel, igualmente bem alto, tanto que "esqueceu" estar sendo filmado, deu continuidade ao que havia iniciado com a tal Monique mesmo a moça estando aparentemente desacordada. Apenas não dá para saber exatamente em que termos se deu essa continuidade, pois o edredom cobriu a perfomance do moço, mas se imagina.

De qualquer forma, embora o comportamento de Daniel seja reprovável e inclusive realmente passível de penalização, colocar a moça na posição de simples vítima não é justo. Basta ouvir o que ela diz a respeito do assunto, no segundo vídeo abaixo, para constatar que dificilmente ela se enquadra no papel de pobre coitada. O máximo que se pode dizer é que ela foi vítima da própria imprudência.

O fato é que o maior responsável por essa baixaria é o tal Big Brother, pois enfatiza a hipersexualização, entre os participantes do programa, para conseguir Ibope. Isso sem falar que esses reality shows de realidade tem muito pouco. É tudo muito fake, muito encenado, e ninguém minimamente consciente bota a mão no fogo pela veracidade do que se vê seja à mesa do jantar seja embaixo do edredom.

Ganharíamos mais todos se esse tipo de programa deixasse simplesmente de existir, mas o troço é moda no mundo inteiro, onde o nível educacional do povo costuma ser maior do que no Brasil, imagine aqui. Pior é que, enquanto se discute coisas desse nível, nossos políticos, muito mais obscenos do que qualquer ato sexual forçado, continuam aí nos roubando impunemente sem grandes protestos da maioria.

video

video

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Policial destemperado ajuda os que querem a polícia fora da USP

Policial saca arma contra aluno na USP


















O espaço do antigo Diretório Central dos Estudantes (DCE) da USP, fechado em 2006 para reformas, havia se tornado espaço de convivência até de gente de fora da universidade. No ano passado, foi invadido por estudantes em protesto contra a ação da polícia que levou presos, para autuação, alguns deles flagrados fumando maconha no campus. No dia 5 de janeiro, o prédio, ocupado então por punks, foi novamente desocupado, e novamente os estudantes resolveram ocupá-lo em protesto.

Na segunda-feira passada, 9 de janeiro, mais uma vez policiais foram até o prédio requisitar que os alunos desocupassem o local. O que começou com uma conversa, contudo, virou abuso de poder por parte de um policial que, ao solicitar a carteira de um estudante negro, teve como resposta a frase: "Eu tenho minha palavra." O policial interpretou a fala como provocação e perdeu a cabeça, pegando o estudante pela blusa e até sacando do revólver contra ele.

Como hoje em dia, tudo se grava, a triste cena foi parar na Internet e na mídia escrita e televisiva. No mesmo dia, tarde de segunda, o Comando Geral da Polícia Militar, no Centro de São Paulo determinou abertura de sindicância, para investigar o incidente, e informou que os policiais envolvidos na ação truculenta seriam afastados das ruas e sujeitos à avaliação psicológica. Segundo o comando também, a sindicância que dura 40 dias pode acarretar até a expulsão dos policiais da corporação.

O pior desse entrevero é que o fato será longamente explorado pelos estudantes esquerdiotas e profissionais da USP (os que estão lá para atuar por partidos) como prova da necessidade de retirada dos policiais da universidade, medida tomada pelo reitor após reiterados assaltos, estupros e até a morte de um estudante por bandidos da redondeza. 

Truculência tem havido de ambas as partes, mas a polícia não pode se deixar levar por provocações reais ou imaginárias e responder na base do sopapo e da arma em punho. Neste embate, quem perde é o bom senso e a maioria silenciosa da USP, pois a retirada da polícia trará de volta a insegurança pessoal. Por outro lado, para a manutenção da PM na universidade, é necessária uma preparação psicológica e tática de seu pessoal. Caso contrário, ainda podem ocorrer fatos mais graves provocados inclusive por quem tem a intenção de criar tumultos por questões ideológicas e políticas (estamos em ano de eleições). 

Abaixo, em vídeo, as cenas da ação lastimável do policial:

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O Brado Retumbante apresenta presidente íntegro e honesto!

O Brado Retumbante é a minissérie da Globo de oito capítulos que estreia amanhã, dia 17, depois do Big Brother, sobre um presidente da República íntegro e honesto, mas que também vive às voltas com problemas familiares e amorosos. O ator Domingos Montagner interpreta Paulo Ventura, advogado eleito presidente da Câmara, através de uma manobra política, que assume o cargo de presidente, após acidente aéreo onde morrem o verdadeiro presidente eleito e seu vice.

Em meio a um cenário de conchavos políticos, Paulo Ventura encarará os 15 meses restantes do mandato do presidente falecido enquanto lida com a filha bipolar Marta, Juliana Schalch, a mulher Antônia, Maria Fernanda Cândido, e o filho transexual Julio/Julie, vivido pelo estreante Murilo Armacollo. Fora encrencas com amantes, pois é mulherengo.

No ambiente político propriamente dito, Paulo Ventura estará às voltas com o personagem "o Senador", Luiz Carlos Miéle, que o alçou à presidência da Câmara, e seu maior inimigo no poder, o Ministro da Justiça Floriano, interpretado por José Wilker.

Segundo o diretor da minissérie, Gustavo Fernandez, os fatos políticos que acontecem na minissérie podem ser identificados em vários momentos da História nacional e mundial, e sua intenção foi criar um tom documental, mais jornalístico, para essa ficção.

A fim de auxiliar na composição das tramoias políticas, o autor da história, Euclydes Marinho, contou com a colaboração dos jornalistas Guilherme Fiúza e Nelson Motta e da socióloga Denise Bandeira.

Abaixo, dois teasers da minissérie.


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Crueldade Nunca Mais: 22 DE JANEIRO DE 2012 (DOMINGO) - HORÁRIO: 10h00

A gente nunca sabe ao certo, nos casos de violência contra humanos ou animais, se foram os casos que aumentaram ou se o que aumentou foi a visibilidade dada ao assunto. Recentemente, a imprensa divulgou vários episódios de verdadeira barbárie contra animais, culminando com o vídeo, circulado pela Internet, da enfermeira louca que espancou um yorkshire até a morte na frente da filha e, até onde se sabe, apenas foi multada em R$3000,00, se é que de fato foi.

Revoltados, os defensores dos direitos dos animais vão organizar uma manifestação nacional solicitando penas mais graves contra a violência contra os animais. Todos que tem consciência ambiental não podem deixar de participar e divulgar essa muito bem-vinda iniciativa. Abaixo vídeo-convite para a manifestação, texto sobre a mesma e link dos locais de participação no texto. E também, naturalmente, link para a página do Crueldade Nunca Mais.



DATA DA MANIFESTAÇÃO: 22 DE JANEIRO DE 2012 (DOMINGO) - HORÁRIO: 10h00

Todos juntos sairemos na luta pelo respeito aos animais. A manifestação acontecerá simultaneamente em várias cidades do Brasil. CLIQUE AQUI para ver todas as cidades e locais confirmados.

Protetores, organizem a manifestação em suas cidades e mandem o endereço de onde será realizada para o e-mail: info@crueldadenuncamais.com.br
Então divulgaremos aqui o nome de sua cidade como participante da manifestação nacional CRUELDADE NUNCA MAIS!

REIVINDICAÇÃO:
PENALIZAÇÃO CORRETA E EFETIVA PARA QUEM COMETE CRUELDADES E MAUS TRATOS AOS ANIMAIS!

OS ANIMAIS PEDEM JUSTIÇA!
A lei atual é branda e não pune devidamente quem comete crimes contra animais. Esta manifestação é o início de uma série de ações para uma penalização correta contra a crueldade aos animais. A petição oficial do movimento (abaixo assinado) tem por objetivo coletar 1 milhão e meio de assinaturas em todo país, e já está sendo elaborada.Para assiná-la, cadastre seu e-mail no site www.crueldadenuncamais.com.br e aguarde nosso contato.

SUA PARTICIPAÇÃO É FUNDAMENTAL!
JUNTE-SE A NÓS E LUTE POR ELES!

NORMAS:
- A manifestação CRUELDADE NUNCA MAIS é um movimento PACÍFICO e respeitador das leis, idealizado e organizado pelos protetores de animais do Brasil, o qual será o início de uma série de ações que visam a penalização correta para crimes de maus tratos aos animais.
- Os animais não deverão ser levados à manifestação.
- Cada cidade organizará o formato da manifestação de acordo com as normas e condições locais.
- Os manifestantes deverão levar sacolinhas para a coleta do lixo.
- Os manifestantes poderão levar cartazes e faixas com as seguintes frases:

OS ANIMAIS PEDEM JUSTIÇA!
CRUELDADES CONTRA ANIMAIS: LEIS MAIS RÍGIDAS E CADEIA!
OS ANIMAIS NÃO VOTAM, MAS NÓS SIM!
CRIMES CONTRA ANIMAIS DEVEM SER PUNIDOS COM RIGOR!
CHEGA DE IMPUNIDADE PARA CRIMES CONTRA ANIMAIS!
BRASIL, MOSTRA A TUA CARA LIMPA DE CRUELDADE!

- As faixas deverão ter no máximo 2m de largura.
- Frases ofensivas e que incitam a violência não serão permitidas.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Tragédias provocadas por enchentes: tudo de novo outra vez

Cidade de Minas
Em janeiro passado, praticamente há um ano, escrevi o texto Verão trágico: a propaganda petista do Brasil-maravilha rolou encosta abaixo Tudo ali descrito se repete este ano mais uma vez: enchentes para todos os lados, perdas materiais e de vidas humanas e animais. 

O fato é que nada foi feito em termos de real prevenção das catástrofes que as chuvas provocam nessa época do ano. E o Brasil tem - como grande desastre natural - apenas as enchentes. Imaginou se tivéssemos furacões, terromotos, tsunamis? 

De fato, me corrijo, o Brasil tem, como grande desastre natural, não apenas nossas enchentes mas também nossos políticos que de concreto somente fazem nos roubar. Na Região Serrana do Rio de Janeiro, local da maior tragédia provocada pelos temporais (quase mil pessoas morreram na ocasião) no ano passado, apesar da liberação de verbas emergenciais, praticamente nenhuma obra foi realizada para resolver os problemas com as enxurradas. Das 70 pontes que deveriam ter sido construídas, apenas uma foi entregue, inaugurada há uma semana no pequeno município de Bom Jardim. 

Este ano, as fortes chuvas que atingem as regiões Norte e Noroeste do Estado já provocaram 15 mortes, ficando a cidade de Campos dos Goytacazes, a mais importante do Norte do Rio, com as ruas alagadas nesta última terça-feira. Pelo menos, neste caso, a chuva também inundou a rua onde está localizada a casa da prefeita Rosinha Garotinho.

Em Minas, 125 municípios se encontram em situação dramática, e o Espírito Santo também sofre com mortes, inundações, deslizamentos de terra. E novamente o governo federal, através de Fernando Bezerra, ministro da Integração Nacional, apenas libera dinheiro para as atuais vítimas de Minas, Espírito Santo e Rio, cerca de R$ 75 milhões, quando deveria ter cuidado para que não houvesse novamente vítimas.

Pior, neste ano, além da informação de que praticamente nada foi feito para evitar novas tragédias, ficamos sabendo que, entre outras tantas razões para a negligência estatal, destacou-se a utilização de 90% das verbas para enchentes, pelo ministro da Integração Nacional (piada esses Ministérios da Dilma), Fernando Bezerra, em seu estado natal, Pernambuco, estado pouco atingido pelos males das enxurradas se comparados com os da região Sudeste. Sem falar, que, na esteira do escândalo do desvio da verba para prevenção das enchentes, surgiram também uma fileira de denúncias contra o Ministro por nepotismo, ou seja, beneficiamento de parentes, como o próprio filho (o deputado federal Fernando Coelho), e o irmão, Clementino Coelho. Bezerra é, aliás, o mais novo candidato à saída do (des)governo Dilma.

Impressionante o descompasso entre as ações dos políticos brasileiros e as necessidades da população do país, sempre tão alienada. Acho que vai ser necessário a economia brasileira ir para o brejo e a situação ficar dramática, como na Grécia, por exemplo, para que as pessoas saiam dessa letargia  em que se encontram diante de tantos descalabros que assistimos mês a mês, ano a ano.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Clipping legal: Por temer enfrentamento, oposição pode se extinguir


Mais um excelente texto do historiador Marco Antonio Villa intitulado Ministério da Verdade, publicado hoje na Folha. Ele vem sofrendo ataques da máfia petralha pelo simples fato de ser oposição. E faz aquilo que a oposição parlamentar deveria fazer: enfrenta a barbárie. Todo o apoio ao professor. Adiante!

MARCO ANTONIO VILLA
TENDÊNCIAS/DEBATES

Estamos vivendo um tempo no qual os donos do poder exigem obediência absoluta. 

No Congresso, a oposição representa apenas 17,5% das cadeiras. O governo tem uma maioria digna da Arena. Em 1970, no auge do regime militar, o MDB, partido de oposição, chegou a examinar a proposta de autoextinção. Quatro anos depois, o mesmo MDB venceu a eleição para o Senado em 16 dos 22 Estados existentes (no Maranhão, o MDB nem lançou candidato).

Ou seja, a esmagadora maioria de hoje pode não ser a de amanhã. Mas, para que isso aconteça, é necessário fazer algo básico, conhecido desde a antiga Grécia: política.

É nesse terreno que travo o meu combate. Sei que as condições são adversas, mas isso não significa que eu tenha de aceitar o rolo compressor do poder. Não significa também que eu vá, pior ainda, ficar emparedado pelos adversários que agem como verdadeiros policiais do Ministério da Verdade.

Faço essas ressalvas não para responder aos dois comentários agressivos, gratuitos e sem sentido do jornalista Janio de Freitas, publicados nesta Folha nos textos "Nada mais que o Impossível" (1º de janeiro) e "Meia Novidade" (3 de janeiro). Não tenho qualquer divergência ou convergência com o jornalista. Daí a minha estranheza pelos ataques perpetrados sem nenhuma razão (aparente, ao menos).

A minha questão é com a forma como o governo federal montou uma política de poder para asfixiar os opositores. Ela é muito mais eficiente que as suas homólogas na Venezuela, no Equador ou, agora, na Argentina.

Primeiro, o governo organizou um bloco que vai da direita mais conservadora aos apoiadores do MST. Dessa forma, aprova tudo o que quiser, com um custo político baixo. Garantindo uma maioria avassaladora no Congresso, teve as mãos livres para, no campo da economia, distribuir benesses ao grande capital e concessões aos setores corporativos. Calou também os movimentos sociais e sindicatos com generosas dotações orçamentárias, sem qualquer controle público.

Mas tudo isso não basta. É necessário controlar a imprensa, único espaço onde o governo ainda encontra alguma forma de discordância. No primeiro governo Lula, especialmente em 2005, com a crise do mensalão, a imprensa teve um importante papel ao revelar as falcatruas -e foram muitas.

No Brasil, os meios de comunicação têm uma importância muito maior do que em outras democracias ocidentais. Isso porque a nossa sociedade civil é extremamente frágil. A imprensa acaba assumindo um papel de enorme relevância.

Calar essa voz é fechar o único meio que a sociedade encontra para manifestar a sua insatisfação, mesmo que ela seja inorgânica, com os poderosos. 

Já em 2006, quando constatou que poderia vencer a eleição, Lula passou a atacar a imprensa. E ganhou aliados rapidamente. Eram desde os jornalistas fracassados até os políticos corruptos -que apoiavam o governo e odiavam a imprensa, que tinha denunciado suas ações "pouco republicanas".

Esse bloco deseja o poder absoluto. Daí a tentativa de eliminar os adversários, de triturar reputações, de ameaçar os opositores com a máquina estatal.

É um processo com tinturas fascistas, que deixaria ruborizado Benito Mussolini, graças à eficiência repressiva, sem que se necessite de esquadrões para atacar sedes de partidos ou sindicatos. Nem é preciso impor uma ditadura: o sufrágio universal (sem política) deverá permitir a reprodução, por muitos anos, dessa forma de domínio.

Os eventuais conflitos políticos são banais. Por temer o enfrentamento, a oposição no Brasil tenderá a ficar ainda mais reduzida e restrita às questões municipais e, no máximo, estaduais.

MARCO ANTONIO VILLA, 55, é historiador e professor do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Fim da im(p)unidade parlamentar como nos EUA

Petistas e esquerdistas em geral, com honrosas exceções, enchem a boca para demonizar os Estados Unidos, a quem acusam de imperialista entre outras tantas. Naturalmente os americanos têm lá os seus problemas (qual povo não tem?), mas os pontos positivos da terra do tio Sam excedem os negativos.


Entre outras coisas que a sociedade americana tem de bom, sobressai-se o fato de que políticos corruptos são julgados como quaisquer outros cidadãos (sem impunidade parlamentar) e vão para a cadeia por seus crimes contra o patrimônio público. Muito diferente do que ocorre em nosso país cada vez mais degenerado, sobretudo depois que o petismo chegou ao poder. 

No vídeo abaixo, da Globo, alguns exemplos de como são tratados políticos corruptos, exemplos que o Brasil precisaria seguir.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Reciclagem: sempre bom saber ou relembrar


Bem, segundo informação da Época, fonte desta matéria, até 2014, nenhum lixo poderá ser despejado a céu aberto e somente o rejeito (o que não pode ser aproveitado, reutilizado ou reciclado)  deverá ser disposto em locais ambientalmente adequados. E as empresas terão que garantir a coleta e o reaproveitamento, em outros ciclos produtivos, do material que produzem. 

Em outras palavras, sabe aquela luz fluorescente que quebrou e você não tem para onde despachar? Sim, porque as lâmpadas fluorescentes quando quebram, dispersam mercúrio na atmosfera, podendo contaminar o usuário. É preciso arejar o local onde ela foi quebrada por uns 10 minutos, depois recolher os cacos (com uma vassoura), embrulhar em jornal e..... ficar aguardando que criem um local para onde enviá-las. Parece piada mas praticamente eles não existem (digo por experiência própria), e a gente acaba tendo que botar a lâmpada no cesto de lixo reciclável, embora não seja o adequado, já que pode contaminar o coletor e posteriormente o solo, se nele for despejada. E mais, muitas dessas lâmpadas sequer vêm com advertência ao consumidor dos problemas que podem acarretar quando quebram.

Então, voltando, até 2014, problemas como esses deverão ter solução, que de esperança também se vive. Os fabricantes terão que recolher mesmo televisões (ou qualquer eletrônico ou eletrodoméstico), agrotóxicos; pilhas e baterias; pneus; óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens, e as citadas lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista. Por ora, fiquemos com as dicas da imagem acima e do vídeo abaixo para ajudar na conservação do meio-ambiente e da nossa saúde.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Filho de peixe peixinho é! Barbalhinho em ação!

Barbalhão e Barbalhinho mandando os brasileiros à....
Foram tantas as caretas que o filho de Jader ficha-suja Barbalho, Daniel Barbalho, aprontou na posse do pai (filho de peixe peixinho é) que até virou tema de blog, onde aparece em divertidas montagens. O Barbalho-pai conseguiu ser empossado depois que o Supremo Tribunal Federal derrubou a lei da ficha limpa para o ano que passou, liberando vigaristas para assumir suas vagas no Congresso. 

E o Jader foi logo apressando sua posse, antes do ano acabar, a fim de embolsar uma ajuda de custo de R$ 26 mil referente a 2011. De tão alegre com mais essa injustiça cometida contra o povo brasileiro, Jader levou toda a família à sessão extraordinária do Senado, onde, durante entrevista coletiva à imprensa, seu filho Daniel foi o porta-voz, através de mímicas, do que o pai de fato deseja para quem lhe paga o salário.

Veja abaixo algumas das montagens de imagens conhecidas, de 2011, com a cara do filho de Jader. 

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites