Curso de extensão da USP

sobre Judith Butler e Michel Foucault

O sequestro do termo "gênero":

uma perspectiva feminista do transgenerismo

Mulheres na Ciência

Estudantes criam bactéria que come o plástico dos oceanos

Mulheres na Ciência:

Duas barreiras que afastam as mulheres da ciência

domingo, 30 de outubro de 2011

A doença de Lula e a hipocrisia brasileira


Ontem, os jornais foram tomados pela notícia do diagnóstico de câncer na faringe de Lula. Como li certa feita em um texto budista, as doenças e a morte ocorrem todo o dia e são, portanto, o que de mais natural existe, mas não cansamos de nos espantar com elas. Também fiquei surpresa com a notícia e vislumbrei a possibilidade de a doença tirar Lula da cena política. Sonhar não custa.

Sim, digo isso sem qualquer constrangimento. Como pessoa física, o que pode acontecer com Lula não me interessa. Não torço por ele, pois não gosto dele e não sou hipócrita de agora posar de compungida por seu infortúnio, porém, também não lhe desejo mal. Seu futuro está nas mãos do destino assim como o meu, à parte nossas diferentes condições orçamentárias para lidar com o fado. Não sou eu que irei julgá-lo por via dessa situação.

Agora, como persona política, sim, desejaria muito que a doença o aposentasse precocemente de seu ofício. Lula é um líder negativo, populista, autoritário e o padroeiro da corrupção pandêmica que assola o país. Disse ontem pelo twitter quanto era irônico seu câncer ser logo na laringe, já que ele nada fez, em seus dois mandatos e até agora, a não ser empregar a voz rascante para disseminar o câncer da mentira e da mistificação, o câncer da difamação e da calúnia contra adversários políticos, o câncer da discórdia entre brasileiros de norte a sul, o câncer do combate à imprensa e à liberdade de expressão e, sobretudo, o câncer da corrupção e da impunidade. E agora é exatamente a perda da voz seu maior risco, já que o de vida parece ser mínimo. E que ninguém se iluda. Três meses de quimioterapia e provável radioterapia afetarão a voz de Lula de qualquer forma. A extensão do dano é que não se pode prever. Dificilmente, porém, veremos esse senhor novamente vociferar contra inimigos reais e imaginários (sobretudo estes), vermelho e espumando como se estivesse à beira de um ataque apoplético.

De qualquer forma, vale ressaltar que ele não está com câncer na garganta em decorrência da justiça divina que resolveu puni-lo por seus incontáveis malfeitos. Está nessa condição pelas artimanhas do imponderável a quem ele deu uma boa força fumando e bebendo demais. O melhor dos homens, caprichando no fumacê e na garrafa, corre um bom risco de se ver na mesma situação. As doenças afetam qualquer ser vivo e não têm qualquer relação com valores morais. Se não fosse assim, crianças e animais, sem máculas de maldade, não teriam câncer, entre outras enfermidades, mas têm, como todos sabem.

Então, a doença de Lula não significa nada, muito menos o absolve de seus inúmeros defeitos e delitos. No entanto, ele e sua tchurma já começaram a transformar o câncer em um espetáculo deprimente de marketing político, a alimentar o mito do presidente mais popular que o Brasil já teve, agora também mártir. Se conseguir manter um fio de voz, Lula e a petralhada vão inclusive utilizar o infortúnio do câncer para fins eleitoreiros no futuro pleito presidencial, vide o que fizeram com Dilma Roussef. Preparem-se para cenas bem lastimáveis e demagógicas, centradas na suposta extraordinária capacidade de superação do ex-presidente. Fora que, caso venha a falecer, embora não me pareça o caso, petistas e outros avermelhados seguramente vão requisitar sua canonização à Igreja .

Nada que espante considerando com quem estamos lidando. O que espantou, porém, foi a reação de muitos jornalistas e políticos de “oposição” quanto ao caso de Lula, o que inclusive ajuda a entender como esse homem chegou aonde chegou em termos de imagem mistificada. Mesmo alguns jornalistas que vivem, no sentido de ganhar dinheiro mesmo, de criticar Lula e seus desmandos bem como os do PT e de seus aliados se saíram com embaraçosas declarações de apoio ao ex-presidente por meio de vivas e até promessas de rezas por sua saúde. Os grandes portais fecharam a área de comentários, abaixo das notícias sobre o tema, para que os muitos brasileiros que não gostam de Lula, por inúmeras razões, não pudessem expressar seus reais sentimentos sobre o tema. Respostas no twitter à notícia, com a tag #LulaNoSUS, foram tidas como mera baixaria, coisa de gente quase-humana, nos dizeres de um petista.

Quanta hipocrisia desses jornalistas e políticos de oposição (?) e, em alguns casos, quanta incoerência. Todos sabem que Lula e os petralhas trabalham há anos para acabar com a oposição e a liberdade de imprensa. Ontem mesmo, li um tuíte de um petralha (@peu93) que, à guisa de dar força ao ex-presidente, dizia: "Vamos tratar esse tumor como a oposição, vamos destroçá-lo e sair mais forte dele." Essa é a mentalidade antidemocrática de Lula e de toda a quadrilha que o cerca. Lula rebaixou o país ao seu nível e ao nível de sua turma. Nunca vi o Brasil tão medíocre, tão fanático, tão corruPTo, tão cheio de rancor. Não há razão alguma para desconsiderar toda essa obra de Lula só porque, agora, ele padece de uma doença que afeta milhares de pessoas no Brasil todos os anos, pessoas que, ao contrário dele, às voltas com o sistema público de saúde do país, jamais terão o tratamento de ponta que ele terá no Sírio-Libanês, um dos mais caros e renomados hospitais brasileiros. Vamos lembrar que só os 85 bilhões de reais roubados da população brasileira, no ano passado, pela via da corrupção, seriam mais do que suficientes para recuperar todos os hospitais públicos do Oiapoque ao Chuí e dotá-los de capacidade para atender dignamente a população que hoje em dia literalmente morre sem atendimento médico. Isso sem falar em outros hospitais que esse dinheiro poderia criar. (Vejam aqui a realidade da saúde pública brasileira: Falta de leitos em hospitais públicos levam pacientes à morte no Brasil).

Se, por questões de civilidade, não cabe soltar rojões pela doença de Lula e ficar lhe desejando o pior dos destinos (a tag #LulaNoSUS é obviamente política, um protesto pelo descaso ao qual esse senhor e sua pupila Dilma Roussef relegaram e relegam a saúde pública brasileira), também não cabe tratá-lo de forma adulatória e falsamente compungida. Para aqueles e aquelas que não gostam dele – e razões não faltam para tal - cabe apenas discrição sobre o assunto, mesmo porque qualquer um(a) de nós pode se ver às voltas com o mesmo mal, mesmo não fumando ou bebendo. Por outro lado, do ponto de vista político, não deixo de reafirmar meu desejo, citado no início deste texto, certa de que, se o universo me atender, o Brasil é que se beneficiará. Nós não temos oposição política. Quem sabe a oposição do destino não nos faça um pouco de justiça.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Um flash mob ecológico: O lugar certo de colocar o lixo!

Vejam que legal o flashmob organizado em março deste ano pela rede televisiva TVA, em Montreal, capital de Québec, uma das províncias canadenses. A produção do programa Testé Sur des Humains (Testado em Humanos), dessa TV, preparou uma espécie de pegadinha ecológica com o objetivo de estimular uma maior participação dos cidadãos no hábito da reciclagem.

Um dos organizadores da pegadinha deixa uma garrafa pet largada perto de uma lata de lixo, em um shopping, para ver a reação da população em relação ao fato.  Vejam o que aconteceu.

 


Finalmente, uma moça pega a garrafa e a coloca no lixo, seu lugar certo. Ato feito, é aplaudida entusiasticamente pela multidão, convocada pela produção do programa. Acho que levou alguns segundos para entender porque era aplaudida e ficou super sem graça, levemente ruborizada, mas, claro, curtiu. Muito legal!

Abaixo, as legendas dos texto que aparecem no vídeo.

-"A cada ano, 671 milhões de quilos de plástico são produzidos no mundo”.
-“A cada ano, 400 milhões de garrafas e latas retornáveis não são recicladas em Québec”.
-“Existem 18 mil garrafas de plástico flutuando em cada 2 quilômetros quadrados de oceano.”
-“91% dos quebequenses se preocupam com o meio ambiente. E você?”

Fonte: Ricardo Setti - http://bit.ly/cYfO6A

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A tragédia das ONG: de fonte de inovação a instrumentos de corrupção

É com tristeza e desalento que observo, de forma cada vez mais constante, o envolvimento das chamadas organizações não-governamentais em escândalos de corrupção. Cooptadas e aparelhadas pelos governos lulopetistas, seus satélites e base aliada, as ONG tiveram seu sentido e objetivos pervertidos por bandidos travestidos de autoridades. Em vez de prestar serviços às comunidades alvo de seus trabalhos, muitas se tornaram via de lavagem de dinheiro e/ou correia de transmissão das ideias e projetos de poder e enriquecimento de partidos. Nada mais avesso à sua natureza primordial.

Um Pouco de História
O chamado Terceiro Setor, composto por organizações da sociedade civil, surgiu como mobilização espontânea de pessoas em prol de objetivos de suas comunidades, desde a melhoria das condições de seus bairros até a conquista de direitos específicos, passando por inúmeras outras metas entre ambos esses polos. Em seu nascedouro, em nosso país, por volta da década de setenta e oitenta,  os grupos, que vieram a conformar o que se chama hoje de Terceiro Setor, surgiram inclusive como alternativa à política partidária, considerada viciada desde aquela época.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Capa da Veja vale mais do que mil palavras

A capa da Veja desta semana é um primor: a máscara de Guy Fawkes, imortalizada pelo filme V de Vingança (veja a postagem que escrevi sobre o sr. V), com dois traços em verde e amarelo na face exposta, cobre metade da página, inclusive sintomaticamente o V de Veja, emoldurando a lista de dez motivos que os brasileiros têm para se indignar contra a corrupção, ou seja, tudo que se poderia fazer com os 85 bilhões de reais que escoaram para os bolsos do corruPTos no último ano. Obviamente, evocando Guy Fawkes, a imagem não é só um incitamento à indignação mas também à rebeldia contra todo esse absurdo, rebeldia a ser expressa através dos protestos contra a corrupção. Pessoalmente, dada à situação, acho que deveríamos ir além delas.

Fica então meu registro da imagem e das dez coisas que poderíamos fazer com o dinheiro que nos roubaram, aproveitando para convidar a todos a lerem a imprescindível matéria da revista. A mensagem que se subentende é: "não podemos continuar a ser governados por bandidos; é por demais injusto tudo isso; precisamos agir para mudar essa situação."

1. Erradicar a miséria
2. Custear 17 milhões de sessões de quimioterapia
3. Custear 34 milhões de diárias de uti nos melhores hospitais
4. Construir 241 quilómetros de metro
5. Construir 36 000 quilómetros de rodovias
6. Construir 1,5 milhão de casas
7. Reduzir 1,2 ponto porcentual na taxa de juros
8. Dar a cada brasileiro um prémio de 443 reais
9. Custear 2 milhões de bolsas de mestrado,
10. Comprar 18 milhões de bolsas de luxo
(iguais àquelas com que os corruptos presenteiam sua mulher e amantes)

sábado, 22 de outubro de 2011

PC do Bolso (como diz a Época) chora a morte de Kadhafi! É mole?

Enquanto as entranhas da corrupção do PCdoBolso (como diz a Época) são expostas pelas revistas brasileiras, para o país ver e se indignar, os comunistas se unem para defender Orlando Silva e prantear a morte de Muamar Kadhafi que se dizia socialista.

Como se sabe, nem todo o tirano é socialista mas todo socialista parece ser tirano. Raramente, contudo, eles encontraram a justiça terrena, embora tenham matado muito mais gente (cerca de 110 milhões de pessoas) do que os nazistas, seus irmãos gêmeos. Já falei sobre o assunto aqui no blog algumas vezes e considero imprescindível sempre alertar as pessoas sobre quem é essa gente ou reavivar a memória dos que já esqueceram de seus serviços. Cliquem aqui e aqui para ler postagens sobre o assunto e baixar livros sobre o mesmo.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

O que torna extraordinárias algumas pessoas

Lewis Gordon Pugh
O Esporte Espetacular, da Globo, fez uma série de 4 programas com pessoas especiais, pessoas que desenvolveram qualidades excepcionais por uma razão ou outra. Dois deles transformaram a dor em poema, por assim dizer. O trauma sofrido pelo britânico Lewis Gordon Pugh,  numa sessão de paraquedismo, ajudou-o a desenvolver a capacidade de resistir a temperaturas baixíssimas, sem entrar em hipotermia, esquentando o próprio corpo. Nada em águas congelantes, sem qualquer proteção particular, e vive cruzando quilômetros mares e rios são e salvo.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

PT equipa tropa de choque virtual para atacar a imprensa

A Folha de São Paulo publicou hoje, em seu caderno Poder, notícia que dá conta de mais uma dos petralhas para atacar a liberdade de expressão no país: uma chamada "patrulha virtual", treinada com técnicas de guerrilha, a partir de um tal de "manual do tuiteiro petista" para repetir palavras de ordem, usar janelas de comentários de blogs e portais noticiosos para contestar notícias "negativas" contra o PT e fazer propaganda e criticar a mídia em sites de notícias e redes sociais como Twitter e Facebook.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Humanos não são os donos do planeta

Entre os "argumentos" que os homofóbicos utilizam para tentar justificar seu fanatismo antidemocrático, um se destaca pelo total irrealismo: o de que casais homossexuais não procriam e, se aceitos, levarão a humanidade à extinção. Baseiam-se em geral na Bíblia, para justificar seu credo da intolerância, ou numa pseudo natureza, embora exista também homossexualismo na natureza.

Os textos bíblicos que condenam relações entre pessoas de mesmo sexo foram escritos por judeus há cerca de uns 3500 anos. Nessa época, judeus eram um dos poucos povos monoteístas, numa região de crenças politeístas, e viviam em guerra com seus vizinhos, tendo sido inclusive escravizados no Egito. Para esse povo, o "crescei e multiplicai-vos" era fundamental, pois precisavam de mão-de-obra constante para seus exércitos. Não podiam se dar ao luxo do sexo não-reprodutivo, por amor e prazer somente.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

II Marcha contra a corrupção em Sampa. Que beleza!


Estive dia 12/10, quarta-feira, na marcha contra a corrupção que começou no MASP, percorreu a Paulista e desceu pela Consolação até o Teatro Municipal. Novamente pude descer a Consolação, em uma manifestação, sentindo-me realmente representada e emocionada. Gente de todo tipo e ideologia, gente de todas as idades, estava lá presente, unida em torno do combate à corrupção. Do anarquista Anonymous à mais do que tradicional Maçonaria, passando pela maioria que de fato não se insere em nenhum agrupamento ideológico em particular, estiveram presentes cerca de 3000 pessoas caminhando e marchando nas ruas paulistanas por um pouco de ética no Brasil.

Na Consolação, na faixa restrita aos carros e ônibus, os veículos passavam buzinando seu apoio à manifestação. Do outro lado da avenida, espectadores nas calçadas erguiam os polegares para cima com a mesma significação. Do precário carro de som, palavras de ordem animavam os manifestantes que dedicavam homenagens a Zé Dirceu, Sarney e Maluf, com palavras chulas à altura dos personagens em questão. Nas faixas um pouco de tudo: pelo voto distrital, pela aprovação da ficha limpa, por menos impostos, mais saúde e educação, pela tipificação da corrupção como crime hediondo, pelo fim da impunidade para os corruptos, pelo autogoverno.
Você é otária e não vê o que se passa!?
Entretanto, apesar do sucesso da marcha e da alvissareira novidade que representam essas manifestações contra a corrupção em geral, sobretudo no PIG (de fato, partido da imprensa governista) e nas redes sociais repletas de petralhas, não faltaram os comentários depreciadores, deturpados e mistificadores, com a clara intenção de desmotivar as marchas. Entende-se o porquê. O PT e suas linhas auxiliares ditas de esquerda são os grandes geradores e beneficiários da corrupção pandêmica que assola o país. Para eles, portanto, as manifestações são uma ameaça que se deve deter na base do vale tudo de sempre.

Após o absoluto fiasco das manifestações pelo controle da imprensa no vão MASP e na Cinelândia que reuniram ambas cerca de 100 pessoas, poderia se esperar um pouco de humildade na fala dos petralhas ao desprezar os protestos contra a corrupção. Afinal, o menor deles contou com 200 pessoas, o dobro de gente das manifestações pela censura aos meios de comunicação. Quem dirá, então, se comparados às 3000 pessoas da marcha em SP, mais 3000 no Rio e mais 200000 em Brasília, fora as pequenas manifestações em várias cidades do país?
Mas é imperativo desmobilizar as marchas com a lenga-lenga de sempre de que elas são coisa da direita, de brancos, das zelites e outras ridiculezas de mesmo teor. A presença da garotada do Anonymous deveria ser suficiente para pelo menos relativizar esse papo de que as marchas são coisa da direita, já que o grupo não se encaixa de forma alguma no que se convencionou identificar como tal. Mas desde quando a facistada vermelha está preocupada com a verdade, não é? O que importa é impedir que essa movimentação espontânea da sociedade seja detida antes que comece a ameaçar de fato os privilégios desses vigaristas, parasitas e hipócritas.

Os anônimos presentes
Por outro lado, mesmo que a manifestação fosse realmente apenas uma manifestação da direita, em que pese à enorme abrangência do termo, onde estaria o problema?  Desde quando ser de direita é algo essencialmente ruim a ponto de contaminar com sua maldade intrínseca uma bandeira tão imprescindível como a luta contra a corrupção? E se fosse só de brancos, em que pese também a dificuldade de determinar quem é branco e negro no nosso – graças aos céus – mestiço Brasil, quer dizer então que brancos não podem se manifestar em uma democracia? Sinceramente, em que buraco sem fundo e cheio de “lama” essa gente nos meteu.

Não resta dúvida que, na luta de valores que se trava em nosso país, um dos anátemas a desconstruir é o que pesa sobre o termo “direita”. Imprescindível trazer a discussão sobre o que é ser de direita para o cotidiano da sociedade, desmistificando toda a imagem negativa que a esquerda antidemocrática criou sobre a palavra como se fora um palavrão. Em todas as sociedades realmente democráticas do planeta, existe a expressão social e parlamentar dita de direita, com a qual podemos ou não concordar, mas que merece o devido respeito desde que seja democrática.

Lula para o banco dos réus
Democracia implica conhecimento das diferentes concepções de mundo existentes e o saudável embate de suas ideias. O fato de, no Brasil, não termos expressões parlamentares de direita (sociais já existem algumas) apenas e tão somente demonstra como nossa democracia continua de fachada, mambembe que só ela. E eu diria o mesmo se a situação fosse inversa, ou seja, se estivéssemos às voltas com uma hegemonia de “direita” e a “esquerda” é que fosse demonizada.

Enfim, não se deve dar ouvidos ao petralhismo e seus jornalistas, blogueiros e tuiteiros amestrados com o dinheiro que sai de nossos bolsos. A Parada Gay de Sampa que hoje reúne milhões começou com uns 1200. As Diretas Já engrossaram aos poucos. Um dos movimentos populares mais importantes de nosso país, o da campanha pela abolição da escravatura, injustamente esquecido, começou timidamente, de estado em estado, ao longo de décadas, unindo gente de toda a cor (por isso os racialistas não o apreciam), até varrer do país a mancha daquela instituição infame. 

Firmes e fortes marchadores e marchadoras contra a corrupção. Nós estamos fazendo História, um pouco de cada vez, como há muito tempo não se via no Brasil. E nossa Primavera não passou coisa nenhuma. A primavera acabou de começar. Até 15 de novembro, mais uma vez. E que os corruPTos ladrem enquanto a caravana passa.

Vejam mais algumas imagens da marcha abaixo:



Fora do circuito da marcha,
na tela da janela de um apartamento:
"Abaixo a corrupção!"


quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Orianthi, novo álbum FIRE, e sua versão de Vodoo Child de Jimmy Hendrix

Como toda guitarrista que se preza, Orianthi resolveu fazer sua versão de um clássico de Jimmy Hendrix, no caso Voodoo Child, e arrasou, só para variar. Coloquei as duas versões da música, a do mestre e da discípula, à guisa de comparação, com a letra ao fim dos vídeos.

Posto também, para começar, o making of do novo álbum da loirinha genial, chamado Fire, produzido por Dave Stewart, em Nashville, onde ela esbanja talento na guitarra, no vocal e na boniteza. Mulheres como Orianthi salvam a imagem das mulheres, às vezes tão maltratada pelas irinys lopes da vida. Dá-lhe Orii!

E lembrem a postagem que fiz sobre ela, tempos atrás, com sua bio e outros vídeos.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Um trilhão de impostos que escoam pelo ralo da corrupção!

.Este ano a carga tributária bateu no trilhão. Sim, pagamos um trilhão de reais de impostos, uma das cargas tributárias mais altas do mundo, sem retorno em termos de serviços públicos minimamente decentes. Pagamos como suecos e temos serviços públicos africanos. E para onde vai o nosso dinheiro? Para os corruptos, sobretudo nos governos petistas que buscaram - mais do que quaisquer outros - banalizar a corrupção, como se ela fosse normal. Mas ela não é nada normal. E está mais do que na hora do povo brasileiro tomar as rédeas do país, já que quem deveria representá-lo  - a classe política - é beneficiária da atual situação de degeneração acelerada. Veja os vídeos abaixo, sobre a marca do trilhão, e mantenha-se ligado/a no assunto através do Impostômetro  no site da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Veja também o vídeo do Movimento Hora de Agir que dá dicas de como exercecer sua cidadania, entre outras coisas, pressionando os políticos

Reportagens da Globo e da Band do dia 07/10/11




segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Iriny Lopes baixa o tom censório após reação pública, mas não me engana!

Iriny em busca da (má) fama
Não resta dúvida que surtiram efeito as reclamações de boa parte da população, leitora da imprensa virtual e impressa, e de blogueiros e jornalistas em geral, ao ímpeto censório da Ministra Iriny Lopes, da Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SPM).

Após dar queixa ao CONAR contra o comercial da HOPE, com Gisele Bündchen, apoiar o pedido, de parte da Secretaria de Mulheres dos Metroviários de São Paulo, de retirada do ar do quadro "Metrô Zorra Total", da Globo, e fazer "sugestões" feministas ao enredo da novela Fina Estampa, de Aguinaldo Silva, Iriny baixou o tom censório e passou a dar "explicações" sobre seus atos aos veículos de comunicação.

Em breve visita a sites feministas, que há até poucos dias atrás faziam tempestade em copo d'água contra a reação da sociedade aos destemperos da ministra, pude observar que o tema praticamente saiu de cena, inclusive do próprio site da SPM. Dos que visitei, apenas um ainda falava do caso, e, curiosidade, transcrevendo um texto do editor do site Ordem Livre, Diogo Costa (!!??), em defesa da ação da ministra junto ao CONAR.  Vejam aqui. Dizem que se trata de uma reprodução tirada do blog do Luis Nassif, que dispensa comentários, mas não encontrei a fonte original do texto.

De qualquer forma, para quem não sabe, o Ordem Livre é um site liberal. Parece que, a fim de justificar que, de fato, Iriny não teve intenções de censura, nada melhor que invocar um liberal para dar respaldo à treta. Que cara de pau! O fato de Iriny se ter valido de meios legais não respalda politicamente seus atos. Basta ver que o PT já anunciou, na semana passada, que voltará ao projeto agora denominado "marco regulatório da mídia", o novo eufemismo petralha para censurar os meios de comunicação. Supondo que tal estrovenga autoritária já estivesse legalizada, Iriny iria seguramente se valer dela para enquadrar a produção artística e publicitária dentro de seus dogmas de realismo socialista-feminista. Tudo dentro do respeito ao ordenamento jurídico nacional.

Então, se, de fato, o texto é do Diogo Costa, ele foi ingênuo ao analisar a questão apenas do ponto de vista do respeito da ministra às "regras do ordenamento jurídico nacional", esquecendo-se do entorno político em que suas ações e falas se deram. A sequência das falas de Iriny, todas de alguma forma no sentido de interferência na produção artística e publicitária brasileira, não deixa dúvidas sobre qual é a dela, o que inclusive condiz com os "princípios" que seu partido defende. Vale consultar inclusive os pensamentos da senhora em questão, em seu blog, para dirimir qualquer dúvida.

De qualquer forma, embora Iriny tenha conquistado seus 15 minutos de fama às custas de meios pouco louváveis, não deixa de ser positivo o recuo no tom arrogante e prepotente que marcou sua fala, em relação ao comercial da Hope, em que foi acompanhada por suas colegas feministas socialistas de plantão. E até a próxima, que seguramente próximas virão. Nessa perspectiva inclusive, deixo ainda link, para texto bem antenado do Tony Goes, sobre o assunto, ao contrário do artigo do Diogo Costa* que se deixou prender a formalismos e não viu o pano de fundo da história toda.  

*Atualização: O pessoal do Ordem Livre me escreveu dizendo que o texto, em defesa da iniciativa da ministra Iriny Lopes, junto ao CONAR, citado no site Agência Patrícia Galvão (ver link acima), não é de fato de Diogo Costa. 

sábado, 8 de outubro de 2011

II Manifestação Nacional contra a corrupção e impunidade -12 de outubro


Confira Local e hora da manifestação na sua cidade.
Confirme a sua presença no Facebook Todos Juntos Contra a Corrupção - Passeata

AL - Maceió - Antigo 7 Coqueiros até o Antigo Alagoinhas (MCCE) 13h
AM - Manaus - Centro, em frente ao colégio Dom Pedro - 14h
BA – Salvador - Cristo da Barra – 14h
CE – Fortaleza - Praça da Imprensa rumo ao Cocó – 14h
DF – Brasília – Museu Nacional – 10h
ES – Vila Velha – Praia da Costa – 12h
GO – Goiânia – Praça Cívica - Inicio na Praça Universitária, e término na Praça Cívica - 10h
MA - São Luis – Praça do Pescador – Av. Litorânea – 14h
MG – B. Horizonte - Praça da Liberdade até a Praça 7 – 14h
MG - Uberlândia - Praça Tubal Vilela – 14h
MG - Alfenas – Concha Acústica – (07/10 – 18h)
PA – Santarém – em frente a Prefeitura até o Fórum – 17h
PE – Recife – Praia B Viagem – Pracinha de B Viagem – 14h
PB – João Pessoa – Busto de Tamandaré – 14h
PI – Teresina – Praça da Liberdade – 14h
PR – Curitiba – Santos Andrade – em frente a escadaria da UFPR – 14h
PR - Campo Mourao - Praca Central as 14 hrs (junto a marcha dos palhaços)
RS - Porto Alegre Parque da Redenção - a tarde toda
RJ - Rio de Janeiro - Copacabana frente posto 4 - 13h
SC - Brusque Praça Barão de Schneeburg - 9h
SC – Florianópolis – Trapiche Beira Mar – 10h
SC – Jaraguá do Sul – Praça Ângelo Piazera – 14h
SP – São Paulo – Av. Paulista – MASP – 14h
SP – Santos – Parque da Independência – 14h
SP – S José dos Campos – Vicentina Aranha – 15h

Confirme a sua presença no Facebook Todos Juntos Contra a Corrupção - Passeata
Divulgue para o seus amigos - Não deixe de exercer seu direito de cidadão

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Revolucionário da inteligência: Tributo a Steve Jobs

Desenho do chinês Jonathan Mak
 em homenagem a Steve Jobs
Em 1997, a Apple fez homenagem a grandes vultos da humanidade, no comercial Think Different (Pense Diferente), ressaltando as razões pelas quais eles se destacaram da manada. Já havia postado o vídeo aqui no blog anteriormente e o faço de novo à guisa de comparação com sua nova versão que homenageia Steve Jobs, mais do que merecidamente. Fiz minha própria tradução do texto original, já que discordo um pouco das legendas dos vídeos. Creio que essa é a melhor homenagem ao criador da Apple que se pode fazer. Para resgate de seu legado, deixo link para texto do Estadão: Uma contribuição revolucionária http://bit.ly/oj8abN  Posto também outro vídeo da Globo bem significativo sobre o criador do Mac. Seguem o texto e o vídeo.

Brindemos aos loucos, aos desajustados, aos rebeldes, aos encrenqueiros, aos "peixes fora d'água", aos que veem as coisas de forma diferente. Eles não seguem regras e nem tem respeito pelo status quo. Você pode citá-los, discordar deles, glorificá-los ou demonizá-los. Mas a única coisa que você não pode fazer é ignorá-los. Porque eles mudam as coisas, eles fazem a humanidade avançar. E enquanto alguns os veem como loucos, nós os vemos como gênios. Porque as pessoas que são loucas o suficiente de pensar que podem mudar o mundo são aquelas que realmente o mudam.

 




quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Notas políticas e outras notas 05/10

Segundo estudo, álcool faz mais mal
do que heroína e crack 
Ideias:
Uma petição nacionalista: http://bit.ly/q2w95B
Ouça o Millenium em Revista #8: http://bit.ly/raMivr

Política nacional:
A lição inoportuna de Dilma: http://bit.ly/oc8J2r
Mais novo partido do Brasil, PPL foi criado por membros do MR-8 http://glo.bo/qpoxkc
Itapecerica da Serra aprova lei da Ficha Limpa - Notícias -Jornal Na Net: http://bit.ly/qBA9G8
Reforma política foi para o brejo e votação dos royalties do pré-sal foi adiada - CBN: http://glo.bo/oYRppv

Política internacional:
A oposição está mais unida do que nunca contra Chávez' http://bit.ly/q8HlxU

Saúde:
Saiba como o álcool afeta seu corpo http://bit.ly/p4IUEK
Álcool é mais prejudicial do que a heroína ou o crack , diz estudo http://bit.ly/cMQgmg

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Clipping legal: uma mulher que de fato nos representa

Eliane Calmon
Ainda sob os maus eflúvios da tentativa, pela Secretaria de Políticas para Mulheres, de vetar o comercial da Hope, sob o argumento de que ele promoveria o reforço do estereótipo equivocado da mulher como objeto sexual, posto um clipping sobre Eliana Calmon, uma mulher com quem de fato me identifico por sua coragem de peitar os desmandos existentes no Judiciário. Embora evidentemente não a tenha eleito, me sinto por ela representada por seu destemor em dizer a verdade sobre essa fonte de degeneração permanente do país que é a corrupção (e não a Gisele Bündchen de calcinha e sutiã, como supõem certas vãs filosofias). Segue abaixo o clipping que fala do prestígio da corregedora nacional de Justiça em sua passagem pela capital baiana.


EXCLUSIVO: Eliana Calmon é ovacionada em evento em Salvador
Por Raul Monteiro
Durante a posse de Mônica Aguiar na vaga de juíza federal do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), hoje pela manhã, a ministra baiana Eliana Calmon, corregedora nacional de Justiça, sua amiga de longa data, não só deu as caras, como ainda foi saudada, sob aplausos sonoros e demorados, como uma verdadeira celebridade no momento em que o auditório da Corte, apinhado de políticos, advogados e magistrados, tomou conhecimento de sua presença, numa demonstração ostensiva de seu prestígio pessoal e do apoio às suas críticas à tentativa de enfraquecimento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Na semana passada, ainda sob a forte repercussão de suas destemidas críticas aos maus juízes e a uma ação da Associação Brasileira de Magistrados (ABM) que propõe a restrição dos poderes investigativos e punitivos do CNJ, Calmon havia desistido de receber uma homenagem da Prefeitura de Salvador. Na manhã de hoje, a ministra resolveu fazer uma aparição pública em sua terra, podendo comprovar a grande admiração de que é alvo nos setores sérios da magistratura.

Fonte: Política Livre

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites