Curso de extensão da USP

sobre Judith Butler e Michel Foucault

O sequestro do termo "gênero":

uma perspectiva feminista do transgenerismo

Mulheres na Ciência

Estudantes criam bactéria que come o plástico dos oceanos

Mulheres na Ciência:

Duas barreiras que afastam as mulheres da ciência

domingo, 28 de fevereiro de 2010

The Blower's daugther - É issso aí!

Duas versões da mesma música. Ambas lindas. A original do Damien Rice, em inglês, e a da Ana Carolina. Amanhã estarei no Fórum Democracia e Liberdade de Expressão e não postarei. Depois conto como foi.

The Blower's daugther
And so it is
Just like you said it would be
Life goes easy on me
Most of the time
And so it is
The shorter story
No love, no glory
No hero in her skies

I can't take my eyes off you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes...

And so it is
Just like you said it should be
We'll both forget the breeze
Most of the time
And so it is
The colder water
The blower's daughter
The pupil in denial

I can't take my eyes off you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes off you
I can't take my eyes...

Did I say that I loathe you?
Did I say that I want to
Leave it all behind?

I can't take my mind off you
I can't take my mind off you...
I can't take my mind off you
I can't take my mind off you
I can't take my mind off you
I can't take my mind...
My mind...my mind...
'Til I find somebody new



É isso aí
É isso aí!
Como a gente achou que ia ser
A vida tão simples é boa
Quase sempre
É isso aí!
Os passos vão pelas ruas
Ninguém reparou na lua
A vida sempre continua

Eu não sei parar de te olhar
Eu não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não sei parar
De te olhar

É isso aí!
Há quem acredite em milagres
Há quem cometa maldades
Há quem não saiba dizer a verdade

É isso aí!
Um vendedor de flores
Ensinar seus filhos a escolher seus amores

Eu não sei parar de te olhar
Não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não vou parar de te olhar

É isso aí!
Há quem acredite em milagres
Há quem cometa maldades
Há quem não saiba dizer a verdade

É isso aí!
Um vendedor de flores
Ensinar seus filhos a escolher seus amores

Eu não sei parar de te olhar
Eu Não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não vou parar de te olhar

Protesto de cubanos no consulado brasileiro em Miami pela cumplicidade de Lula com os assassinos Fidel e Raul Castro

Miami. 26 de fevereiro de 2010. Integrantes da Assembleia de Resistência Cubana ocuparam pacíficamente o Consulado do Brasil em Miami para denunciar a cumplicidade do presidente desse país, Luis Inácio Lula da Silva, no asassinato do prisioneiro de consciência cubano Orlando Zapata Tamayo pelo regime castrista. O presidente Lula se encontrava em Cuba no dia 23 de fevereiro de 2010, dia em que morreu assassinado Zapata Tamayo e, em vez de protestar pelo ocorrido, abraçou o tirano Fidel Castro.

Lula, cúmplice! Vergonha para Lula! Viva Orlando Zapata Tamayo! Direitos humanos para os cubanos! gritaram em coro os manifestantes da Assembleia da Resistência, coalizão que agrupa mais de 50 organizações, dentro e fora de Cuba, em apoio à Campanha de não Cooperação com a Ditadura.
Sylvia Iriondo falou em nome dos manifestantes, interpelando diretamente os funcionários do Consulado. Estamos aqui num protesto pacífico de condenação do Presidente do Brasil, Lula da Silva, por abraçar os ditadores que assassinam nosso povo. Este homem, afirmou Iriondo, enquanto mostrava uma imagem de Zapata Tamayo aos diplomatas, foi assassinado nas prisões castristas.

Os manifestantes depois continuaram seu protesto, marchando, com uma ampla bandeira cubana, em frente ao edificio onde se encontra o consulado.

Tradução do texto de referência do vídeo.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Censura contra uma mulher devassa: ou elas querem é censurar!

Vou te contar! Estão querendo censurar a campanha de lançamento da cerveja Devassa Bem Loura por ser supostamente sexista e desrespeitosa com a mulher (atualizando, de fato censuraram). No anúncio em questão, a socialite Paris Hilton aparece com uma lata da cerveja na mão, fazendo poses sensuais na varanda de um apartamento no Rio de Janeiro enquanto é fotografada por um voyeur e também admirada por gente na rua e na praia (veja o video abaixo).
 O Conar (Conselho de Autorregulamentação Publicitária) abriu três processos éticos contra a marca de cerveja Schincariol, fabricante da Devassa, e pode solicitar a retirada imediata do vídeo através de liminar. Tudo isso porque a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (feministas) e outros consumidores (tenho cá minhas dúvidas sobre esses "outros consumidores") acusaram a Devassa por "utilização de apelos à sexualidade e desrespeito moral às mulheres".

A maioria do movimento feminista brasileiro apóia o governo Lula que nos presenteou, nesta semana que se finda, com um show de asco explícito em sua visita à Cuba para dar dinheiro aos homicidas Fidel e Raul Castro. Com raras exceções, não se viu falar de nenhum protesto dessas senhoras contra aquelas imagens obscenas de Lula aos risinhos com os assassinos de Orlando Zapata, dando as desculpas mais cínicas para sua omissão sobre o crime. 

Agora para cismar com uma propaganda onde uma mulher aparece fazendo caras e bocas sensuais, mas vestida e sem maiores apelações, as guardiãs da moral e dos bons costumes querem censurar a peça publicitária. Hoje em dia, em geral, as propagandas empregam corpos sarados, beleza e sensualidade de homens e mulheres para vender seus produtos. A linha que separa o erotismo da vulgaridade às vezes é tênue, mas, no caso da propaganda da Devassa, o anúncio não descamba não. Tem até um certo humor,  brincando com o nome da bebida naturalmente e seu logo que lembra os desenhos do Carlos Zéfiro, célebre quadrinista erótico. O moralismo de certas alas do feminismo é um porre sem limites.

E não é só na área da moral e dos bons costumes que elas querem censurar. Aqui em São Paulo, ocorrerá, na segunda-feira, dia 1 de março, o I Fórum Democracia e Liberdade de Expressão, organizado pelo Instituto Milenium, com vários palestrantes que grupos da esquerda xiita, incluídas muitas organizaçoes feministas, consideram de direita. O preço do ingresso para o Fórum está mesmo salgado, mas o Instituto sorteou, pelo twitter, inscrições de cortesia pra quem não podia pagar e transmitirá o evento pela Web.
Entretanto, vários grupos feministas, como União de Mulheres, Articulação Mulher e Mídia, Cinemulher, Geledés, Liga Brasileira de Lésbicas e Observatório da Mulher, participarão de uma manifestação, intitulada Fórum de Rua em protesto contra o Fórum Democracia e Liberdade de Expressão, em frente ao hotel onde este ocorrerá (veja a atualização clicando no link). O pretexto é que o evento é excludente pelo valor, mas a verdade é que os manifestantes não têm de fato qualquer interesse no encontro, em seus palestrantes, em suas reflexões ou propostas. Pelo contrário, classificam os participantes simplesmente como figurões da direita midiática brasileira, que estarão reunidos para fazer a elegia da economia de mercado e dos oligopólios de comunicação. Consequentemente, não são pessoas dignas do ouvido "socialmente engajado" desses manifestantes. Então, porque eles farão a manifestação? Se eu não gosto de música clássica, só de funk, qual o sentido de ir fazer protesto contra uma apresentação da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo em frente ao Teatro Municipal?  

Acontece que esses grupos feministas e outros congêneres estiveram reunidos na tal I Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), em Brasília (dezembro), mais uma das inúmeras conferências do governo Lula, para tratar, entre outras coisas, do que chamam de "controle social" da imprensa. Parte do que acordaram foi igualmente registrado no famigerado Programa Nacional dos Direitos Humanos-3, sendo uma das razões de toda a polêmica que a estrovenga autoritária provocou em diferentes setores da sociedade. Esses grupos fazem parte dos conselhos populares (soviets) que, segundo os sonhos de governo da candidata Dilma, devem substituir o congresso e o judiciário na análise e deliberação do que a sociedade brasileira deve ver e saber. São cerca de 14.000 "ativistas", todos idelogicamente assemelhados, muitos vivendo às custas de dinheiro público, tentando decidir o que os outros cerca de 190 milhões de brasileiros devem ler e assistir, entre outras coisas. Para eles, a grande imprensa é um obstáculo de porte a seus planos, daí o porquê da manifestação, essa sim uma peça de propaganda política que de tão hipócrita se torna vulgar  e obscena.

Pessoalmente, eu prefiro uma devassa loura e sensual para degustar. E você?

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Beijo, entre garotas, no Carnaval, provoca furor no Rio de Janeiro!

No país da corrupção siderada (Zé Dirceu, coordenador da campanha de Dilmatadura, acaba de embolsar mais de R$600 mil em nova mamataria com uma tal de Eletronet), tem gente preocupada com um beijo entre meninas numa balada de carnaval. É mole?

Ouçam a opinião dos comentaristas da CBN. Apesar de falar em homossexualismo, quando o melhor é falar de homossexualidade, os comentaristas demonstram o natural espanto diante de gente que se incomoda com um simples beijo mas não se mexe para lutar pela melhoria do país.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Época – Fala, Mundo: Um coro de vozes dissonantes

A revista Época criou um widget (clique no link abaixo para conhecer) a fim de ajudar os dissidentes de países onde há censura (Cuba, Venezuela, Irã, por exemplo) a expressarem sua opinião. Reproduzo texto abaixo da própria revista. Vale a pena divulgar inclusive porque corremos nós mesmos riscos de perder essa liberdade fundamental. Há nuvens carregadas nos céus do Brasil que não tem como resultado as chuvas de verão.

O Fala, Mundo dá voz aos dissidentes que usam o Twitter para manifestar suas opiniões em países onde há alguma limitação para a livre expressão. Identificamos vozes de vários países, como China, Irã, Cuba e Venezuela, para compor um coro em favor da liberdade de opinião. Você pode indicar outros usuários, países ou hashtags para que possamos incluir no streaming de manifestações. Para isso, é só postar no box ou usar a hashtag #vozesdissonantes no twitter.

Pela liberdade de expressão sempre!

Sade - Soldier of love!


Após 10 anos sem gravar, Sade lança agora Soldier of Love, que já vendeu 500.000 cópias no EUA. Adoro sua música, uma mistura de sensualidade e melancolia, com swing ou sem, soul ou cool jazz ou mais R&B, como neste novo trabalho. Sade (pronuncia-se sha.dei) é o tipo de cantora que se destaca por sua voz única, estilo único, como Billie Holiday, Nana Caymmi.... Enfim, a moça é do time das divas.

Abaixo vídeo dela cantando a canção título do álbum.
Soldier of Love
Sade
I've lost the use of my heart
But I'm still alive
Still looking for the life
The endless pool on the other side
It's a wild wild west
I'm doing my best
I'm at the borderline of my faith,
I'm at the hinterland of my devotion
In the frontline of this battle of mine
But I'm still alive

I'm a soldier of love
Every day and night
I'm a soldier of love
All the days of my life
I've been torn up inside (oh!)
I've been left behind (oh!)
So I ride I have the will to survive
In the wild wild west,
Trying my hardest
Doing my best
To stay alive

I am love's soldier!
I wait for the sound
(oooh oohhh)

I know that love will come (that love will come)
Turn it all around
I'm a soldier of love (soldier of love)
Every day and night
I'm a soldier of love
All the days of my life
I am lost
but I don't doubt (oh!)
So I ride
I have the will to survive
In the wild wild west,
Trying my hardest
Doing my best
To stay alive

I am love's soldier!
I wait for the sound
I know that love will come
I know that love will come
Turn it all around
I'm a soldier of love
I'm a soldier
Still waiting for love to come
Turn it all around
I'm a soldier of love
I'm a soldier
Still waiting for love to come
Turn it all around

31-12-2009

Ficha

Álbum Soldier of love
Artista Sade
Produção Sade
Gravadora Sony Music
Preço R$25 (em média)

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Vejam o outdoor que gostaria de encontrar nas ruas!
























Fiz esse outdoor imaginário no site da PETA (Pessoas por um tratamento ético dos animais). Geralmente ninguém pensa na origem do alimento que chega ao seu prato, principalmente quando está com fome. A indústria do abate trata animais que são seres vivos, que como nós sentem dor, medo, etecetera, como coisas. São produzidos em série, têm seu ciclo de vida totalmente detonado, são obrigados a engolir todo o tipo de droga (antibióticos, hormônios), que passa para quem os consome, fora outras maravilhas como ter - no caso das galinhas - os bicos amputados e o pescoço cortado quando ainda estão conscientes.

As galinhas têm o bico amputado porque são criadas confinadas em espaços exíguos. Ficam neuróticas e começam a bicar umas as outras. Os produtores então amputam seus bicos - sem anestesia claro - para que elas parem de danificar os produtos de consumo da espécie humana.
Se você come carne de frango, pelo menos opte pelos frangos e ovos caipiras, de preferência orgânicos, pois, segundo consta, nesse tipo de produção os animais são criados livres e não passam pelos martírios que descrevi. Agora, por outro lado, que tal pesquisar a origem de todos os alimentos que chegam à sua mesa? Dizem os protetores dos direitos dos animais que, se os matadouros tivessem paredes de vidro, a maioria das pessoas não mais comeria carne.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Invictus


Invictus é o filme de Clint Eastwood, com Morgan Freeman e Matt Damon, que conta a estratégia do então presidente da África do Sul, Nelson Mandela, no primeiro ano de governo, para unir seu país dilacerado por anos de apartheid. Ele utiliza de um campeonato internacional de rúgbi, onde seu time não parecia ter qualquer chance de vitória, para juntar negros e brancos em prol de um objetivo comum. Neste nosso Brasil, hoje marcado por racialistas e revanchistas de todo o tipo, a moral do propósito de Mandela é exemplar: ganha-se mais em encontrar o ponto comum em meio as diferenças do que fomentar o círculo vicioso do ódio de classe, de etnia, de gênero, seja do que for.

Mandela ficou preso 27 anos, antes de se tornar presidente de seu país. Dizem que, para manter a coragem, quando a vontade era de desabar, declamava para si mesmo o poema Invictus que dá nome ao filme de Eastwood. Segue abaixo a letra no original em inglês e uma tradução um pouco pomposa (pois o tradutor optou por rimar os versos como no original, o que nem sempre é uma boa solução), mas correta. Adoráveis os versos Eu sou dono e senhor de meu destino; Eu sou o comandante de minha alma. Segue também o trailer do filme. O blog contra a racialização do Brasil, que sempre recomendo, também comenta Invictus. E por último a letra da inspirada trilha sonora. 

Invictus
William E Henley

Out of the night that covers me,
Black as the Pit from pole to pole,
I thank whatever gods may be
For my unconquerable soul.

In the fell clutch of circumstance
I have not winced nor cried aloud.
Under the bludgeonings of chance
My head is bloody, but unbowed.

Beyond this place of wrath and tears
Looms but the Horror of the shade,
And yet the menace of the years
Finds, and shall find, me unafraid.

It matters not how strait the gate,
How charged with punishments the scroll,
I am the master of my fate;
I am the captain of my soul.

Poema traduzido por André C S Masini
Do fundo desta noite que persiste
A me envolver em breu - eterno e espesso,
A qualquer Deus - se algum acaso existe,
Por mi’alma insubjugável agradeço.

Nas garras do destino e seus estragos,
Sob os golpes que o acaso atira e acerta,
Nunca me lamentei - e ainda trago
Minha cabeça - embora em sangue - ereta.

Além deste oceano de lamúria,
Somente o Horror das trevas se divisa;
Porém o tempo, a consumir-se em fúria,
Não me amedronta, nem me martiriza.

Por ser estreita a senda - eu não declino,
Nem por pesada a mão que o mundo espalma;
Eu sou dono e senhor de meu destino;
Eu sou o comandante de minha alma.

Invictus Theme Song

Out of the night, that covers me
I'm unafraid, I believe
Beyond this place of wrath and tears
Beyond the hours that turned to years
I thank whatever, whatever gods may be

9000 days were set aside
9000 days of destiny
9000 days to thank gods wherever they maybe

It matters not, the circumstance
We rise above, we took a chance
And I thank whatever, whatever gods maybe

9000 days were set aside
9000 days of destiny
9000 days to thank gods, wherever they may be

A broken heart that turned to stone
Can break a man, but not his soul
9000 days were set aside
9000 days of destiny
9000 days to thank gods,
wherever they may be
I thank whatever, whatever gods may be

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Fernando Henrique defende seu patrimônio contra a horda lulo-petista!

No domingo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso publicou, no Estadão e no Globo, um ótimo artigo listando os feitos de seu governo, que não foram poucos, contra a máquina de mentiras, injúrias e difamações, que caracteriza o modus operandi do lulo-petismo, e de quem ele tem sido vítima preferencial. Leiam aqui.

Como o governo Lula quer emplacar sua Dilmatadura a qualquer preço (e não pára de fazer campanha fora de hora, apesar de ser contra a lei), tenta levar a disputa eleitoral para uma contenda plebiscitária entre o governo Lula e o de FHC. Só que quem vai concorrer à presidência são José Serra e Dilmatadura (entre outros) e não os ex-presidentes. Mas é que, na eleição anterior, o lulo-fascismo utilizou ad nauseum dos resultados da campanha difamatória que sempre fizeram contra FHC para reemplacar Lula, a despeito de todos os escândalos de corrupção de seu governo, e o PSDB se sentiu acuado e não defendeu seu patrimônio. O resultado foi a vitória da pior coisa que já aconteceu ao Brasil desde o fim da ditadura militar.

Agora, FHC resolveu ir à luta em defesa de seu histórico, procurando contestar as mentiras petistas, e na blogosfera, já há até proposta para um debate entre ele e Lula. Corretíssimo. Se é para discutir os governos FHC e Lula, ou seja, discutir o passado, que se faça um debate entre os dois presidentes. Já imaginou o edipiano Lula frente ao seu pai FHC, tendo que mostrar por a+b+c tudo que diz? Tendo que reconhecer a enorme dívida que tem com seu antecessor, do qual copiou tudo que deu certo em seu governo?

Não fui eleitora de FHC, algo de que me arrependo, por razões que hoje me parecem tolos pruridos infantis (minha visão da política brasileira ainda era meio simplista), mas não posso deixar de reconhecer seu patrimônio histórico e, por isso mesmo, me indignar contra a sórdida campanha dos petistas contra ele. Quem conhece os lulo-petistas pessoalmente sabe que eles fazem isso com qualquer um que considere inimigo e não siga seu lema de mediocridade, corrupção e autoritarismo acima de tudo.

Fora o cinismo, não? A última de Lula foi fazer projeto para punir empresas que praticarem atos de corrupção contra a administração pública!!!?? É mole? A charge do Spon Holz abaixo diz o que penso (entre outros) a respeito desse assunto.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Confira galeria da Megan Fox

Confira, no site da Um Outro Olhar, galeria de fotos da atriz Megan Fox, tão linda e sexy que até dói. Aliás, a moça de 23 anos foi eleita a mulher mais sexy do ano em 2008 e ficou em segundo lugar no ano passado (injusta premiação). Acontece que existem mulheres bonitas mas que não são sexy e mulheres sexy que não são exatamente bonitas. Catherine Deneuve, da velha geração, era bela (A Bela da Tarde) e elegante, mas em termos de sensualidade, estava abaixo de 10 graus. Angelina Jolie sempre foi bem sensual, mas sua beleza é no mínimo estranha: nariz pequeno em comparação com a boca e os olhos exagerados.

Agora Megan Fox une as duas coisas: beleza e sensualidade. Dizem que ela fez plástica no nariz e nos lábios, porém, seja como for, o resultado é estonteante. Naturalmente, vive na capa das revistas e nas telas de cinema, onde ainda precisa provar que tem dotes artísticos que se equiparem a seu suntuoso visual.

Por ora, vale a pena ver ou rever o que ela tem de melhor.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

General diz bobagem sobre homossexuais no exército!

O general Raymundo Nonato de Cerqueira Filho, indicado para ocupar uma vaga de ministro do Superior Tribunal Militar (STM), disse, ontem (03/02), durante audiência na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, que soldados não obedecem a comandantes homossexuais. E que estes deveriam procurar outro ramo de atividade.

Não conhece o general a história dos grandes comandantes da História? Alexandre, o Grande, um dos maiores conquistadores de todos os tempos, tinha vários amantes, fato conhecido de sua tropa, que sempre o obedeceu.
Incrível que ainda tenha gente que pense assim. A única diferença entre héteros e homos é a orientação sexual. Gays e lésbicas só se evidenciam quando querem e, mesmo assim, por que não deveriam ser aceitos no exército? Bichas machas existem muitas. Madame Satã, nos tempos célebres da boêmia da Lapa carioca, nos anos 30 do século passado, era todo maneiroso mas capoeirista e o rei da pancadaria. Botava para correr qualquer homem "normal" que se metia a besta com ele, inclusive da polícia.

Isso falando dos gays. Quando se trata das lésbicas então, essa conversa fica mais mole do que nunca. Sapatas são chegadíssimas numa fardinha e nas asperezas do treino militar, nas lutas em geral., mais do que as mulheres hétero, pelo que se sabe. E sabem se fazer obedecer, se o machismo e o heterossexismo não atrapalharem.

O general perdeu uma boa chance de ficar de boca fechada. Nesse momento em que forças estranhas lutam para rever a lei de Anistia de forma unilateral, uma declaração como essa é decididamente um tiro pela culatra.

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites