"Neurosexismo":

contra o progresso da igualdade de gênero - e da própria ciência

O sequestro do termo "gênero":

uma perspectiva feminista do transgenerismo

Mulheres na Ciência

Estudantes criam bactéria que come o plástico dos oceanos

Mulheres na Ciência:

Duas barreiras que afastam as mulheres da ciência

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Décimo álbum da lista dos melhores da revista Spin de 2010

Para encerrar o ano, o último dos álbuns, entre os 25 mais, que a revista Spin, especializada em música, elencou neste ano que se encerra por ocasião do aniversário de 25 anos da publicação. Clique aqui para mais informações.

Trata-se do álbum de música eletrônica da banda de um homem só, a Nine Inch Nail (NIN), intitulado Downward Spiral de 1994. Banda de um homem só porque oficialmente apenas Trevor Reznor integrou o grupo, inspirando-se em Prince e tocando todos os instrumentos sozinho, exceto bateria, nas gravações de estúdio. Nas apresentações ao vivo,  Reznor contracenava com outros músicos e abusava dos efeitos visuais e teatrais (a NIN terminou recentemente em 2009).

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Fernando Henrique afirma que ele, e não Lula, mudou o Brasil. Ele tem razão!

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso deu entrevista ao Manhattan Connection, do GNT, no domingo, e disse o que precisa ser dito, ou seja, que foi ele quem de fato mudou o Brasil e não Lula. Já que o partidinho dele, o PSDB, não resgata sua herança tão bendita, o presidente tem mais que fazê-lo e, certamente, sempre contará com os brasileiros do bem para multiplicar essa verdade. Quem mudou o Brasil foi FHC. Lembro bem desse divisor de águas. Também sou testemunha.

Abaixo trechos da entrevista de FHC, no Globo de hoje, e no vídeo ao fim da postagem. Com a fina ironia de sempre, o ex-presidente declara que Dilma não completa o raciocínio muitas vezes e que, como ele tem inteligência curta (rsss), não consegue advinhar o que ela quer dizer. Que saudades, Fernandão!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Slanted and Enchanted é o nono melhor álbum da revista Spin!

Completando  -  como prometido - a lista dos 10 top hits da lista dos 25 melhores álbuns de rock/pop da revista Spin, divulgada em 2010, segue abaixo algumas infos sobre o nono álbum, o Slanted and Enchanted do grupo Pavement e, ao final da postagem, o vídeo de uma de suas músicas, Summer Babe (muito boa).

Slanted and Enchanted, de 1992, é o álbum de estreia da banda de indie rock americana chamada Pavement, considerada  um dos principais pilares da cena indie dos anos 90, que ficou em nono lugar na lista dos 25 melhores álbuns da revista Spin (especializada em música) deste ano que se finda. Em 2003, o álbum também atingiu o número 134 da revista Rolling Stone como um dos 500 maiores trabalhos de todos os tempos.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Desmoralizando o Brasil!

Por falta de uma oposição decente, por causa do uso da máquina pública para financiar a eleição da fraudulenta Dilma Roussef, eles venceram novamente e, claro, deram continuidade a desmoralização do Brasil que perpetraram nos últimos oito anos.

Dez dias após o triunfo do mal, tivemos o escândalo do banco Panamericano, de Sílvio Santos, que recebeu dinheiro de fundo do governo (fora 48% de seu patrimônio ter sido comprado pela Caixa Econômica) para não ir à falência, embora tanto a CEF quanto o fundo soubessem da situação financeira da instituição. Rios de dinheiro público foram parar só Deus e a petralhada sabem onde.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Retrospectiva 270 filmes de 2010

Videomaker americano Genrock reuniu fragmentos de 270 produções lançadas este ano apenas para relembrar alguns dos  longas que passaram pelas salas de cinema em 2010.

A montagem de 6 minutos, muito bem editada, em termos dos cortes e da música, ficou bem legal. Alguns desses filmes ainda não estrearam no Brasil, como Tron - O Legado, que estreia nesta sexta (17), Enrolados e Cisne Negro.

Veja se identifica os outros. Abaixo a lista dos 270 para ajudar. Ao fim da postagem, o vídeo do Genrock.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Lançamento da Google ebookstore: livros para ler no PC, no iPhone, Smartphone!

O Google entrou agora no mercado de livros digitais, com a ebookstore Google eBooks que já tem cerca de 3 milhões de livros, para venda ou download gratuito, de 4 mil editoras. Os livros podem ser lidos em qualquer aparelho e em qualquer lugar, desde que o usuário esteja conectado à internet, podendo começar a ler no computador e continuar, da mesma página, no iPhone, por exemplo. Há algumas opções de busca, sendo possível selecionar as obras premiadas no ano, best-sellers, etc.

Como o banco de dados do Google eBooks está disponível também para livrarias independentes, os livreiros começarão a vender e-books sem precisar de estrutura alguma e já contando com todo o conteúdo do Google, o que aumentará ainda mais a disponibilidade de títulos. E, a partir de janeiro, o Google eBooks deverá se expandir para outros países, além dos EUA.

Os títulos gratuitos à disposição são ainda limitados, pelo que verifiquei, mas incluem alguns clássicos da literatura em inglês, tais como Alice no País das Maravilhas, Frankenstein, Orgulho e Preconceito. Para acessar a loja, e os livros gratuitos clique aqui e clique aqui. Também é necessário ter uma conta do Google (gmail).

Para encontrar títulos pagos, você também pode utilizar o "pesquisar" do Google. Aparecerá à sua esquerda um menu, onde um dos itens é Livros. Clique neste item e obtenha mais informações sobre o título desejado. E boa leitura!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Homenagem a Lennon por Nelson Motta

Há 30 anos, John Lennon foi assassinado, em Nova York, por Mark David Chapman, quando retornava do estúdio de gravação onde acabara de produzir seu novo álbum, Double Fantasy, lançado em novembro de 1980. Sua morte pareceu também a morte de toda uma época, e deixou todo mundo de luto.

Como Nelson Motta, também sempre considerei Lennon o meu beatle preferido, por razões muito similares às que o jornalista elenca abaixo em sua crônica sobre a morte do ídolo. Faço minhas as palavras dele e posto o vídeo como uma homenagem ao grande artista.

Apesar de tantos pesares, continuo imaginando como seria um mundo onde todos pudessem viver em paz.

Admirável Mundo Novo: anúncio animado em revista

Realmente, enquanto os seres humanos continuam debatendo ideas do século XIX, XX, em pleno século XXI, a tecnologia não para de avançar vertiginosamente. As multimídias, as redes sociais, o 3D, o iPad, a realidade virtual... Isso sem falar nos avanços da biotecnologia que já estão permitindo cegos voltar a ver, a concretização de gente biônica e até o possível o fim da mortalidade para os próximos 50 anos.

A última da hightech foi a inserção de um anúncio animado na revista Vogue Rússia, em sua edição de dezembro, onde duas páginas de publicidade vêm acompanhadas de um vídeo que começa a rodar assim que a página é aberta. Denominados video-in-print esses anúncios passam em uma tela extrafina de cristal líquido capaz de reproduzir imagens a uma resolução de 320×240 pixels, além de conter um pequeno alto falante. A empresa encarregada de desenvolver esta tecnologia é a americana Americhip, que experimentou a tecnologia pela primeira vez na Entertainment Weekly (setembro de 2009). Veja abaixo que incrível uma explicação sobre a tecnologia com sotaque português e a página da Vogue Rússia que apresenta a publicidade animada!


quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

As pedras no caminho de toda a humanidade!

Publicado pela primeira vez, em 1928, na Revista de Antropofagia, o poema de Carlos Drummond de Andrade rompe com os canônes da poesia tradicional da época, mesclando uma referência à tradição literária culta (a expressão “no meio do caminho” inicia a Comédia, de Dante Alighieri) com uma construção típica da fala popular no "tinha" (em vez de havia) uma pedra.

No plano conceitual, em interpetração conhecida, a partir do mantra modernista da pedra no meio do caminho, Drummond remete aos obstáculos que se repetem durante a vida das pessoas, inerentes à vida humana como as pedras são intrínsecas aos caminhos.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Tropa de Elite 2 e Rio de Janeiro: quando a realidade imita a ficção!

Fui ontem finalmente assistir Tropa de Elite 2, o mega sucesso do diretor José Padilha (10 milhões de espectadores), na esteira da primeira versão da história dos homens de preto do Batalhão de Operações Policiais Especiais, o BOPE.

De antemão, digo que prefiro o Tropa 1, mais dinâmico como filme de ação, mais empoderante ao contar a história de um grupo de policiais de formação especial e moral incorruptível. Neste Tropa 2, o BOPE aparece menos do que nas recentes batalhas travadas no Rio, contra os diferentes comandos de traficantes, desde o dia 21 de novembro. Ao contrário, os heróis do BOPE, apesar do aumento do efetivo,  são demitidos, desancados e até mortos, caso do capitão André Matias, um dos recrutas do primeiro filme.

O emblemático capitão Nascimento, agora tenente-coronel, é exonerado de seu comando no BOPE, após uma desastrada intervenção num motim do presídio Bangu 1, de alta segurança, exponenciada por um defensor de direitos humanos, chamado Diogo Fraga, e vai parar na Secretaria de Segurança do Rio, como subsecretário, onde acaba descobrindo a extensão das ações dos policiais corruptos, nas favelas cariocas, e sua ligação com os políticos locais, incluindo o governador.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A violência do preconceito precisa ter um basta!

Rapaz agredido com lâmpada fluorescente na Paulista
Sequência impressionante de ataques a jovens homossexuais chama a atenção para o absurdo do preconceito e a necessidade de se dar um fim a ideia de que é possível agredir e até matar alguém porque esse alguém não se encaixa nos padrões ditos normais da sociedade. E, para se dar um fim a essa ideia,  faz-se sim necessária a aprovação da lei contra a homofobia que, em sua versão atual, não amordaça religiosos nem ninguém, ou seja, não impede ninguém de dizer o que pensa sobre a homossexualidade dentro de seus templos e paróquias. O que os religiosos  não podem é querer que a sociedade secular seja regida por princípios de uma fé determinada, seja ela qual for, ainda mais com base numa visão a-histórica de trechos da Bíblia.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Programa Pelegão: Centrais sindicais terão direito a transmissões em rádios e TVês!


De certo a gente sabe que nada mais espanta nesse país. Mesmo assim é de pasmar: a Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou ontem (quarta-feira) proposta que assegura às centrais sindicais 10 minutos semanais de transmissão gratuita em emissoras de rádio e televisão. As transmissões deverão ser em bloco ou em inserções de 30 segundos a um minuto, no intervalo da programação normal das emissoras (sic).

O texto estabelece também que os programas produzidos pelas centrais sindicais deverão ser transmitidos entre as 6 horas e as 22 horas das terças-feiras, com a finalidade exclusiva de:
- discutir matérias de interesse de seus representados;
- transmitir mensagens sobre a atuação da associação sindical;
- divulgar a posição da associação em relação a temas político-comunitários.

Essa proposta inacreditável, Projeto de Lei 6257/09, na verdade uma forma de fazer propaganda petista em tempo integral, pois todas as centrais sindicais são pelegas, é de autoria do deputado Vicentinho (PT-SP), que tramitava apensada ao projeto principal (PL 6104/09), da deputada Manuela D`ávila (PCdoB-RS). O texto aprovado na comissão foi um substitutivo do deputado Roberto Santiago (PV-SP).

A proposta tramita em caráter conclusivo, ou seja, o projeto não precisa ser votado pelo Plenário, apenas pelas comissões designadas para analisá-lo, a não ser que haja discordância dentro dessas comissões. Nesse caso, após a votação, o projeto ainda será analisado pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, Constituição e Justiça e de Cidadania. A proposta ainda estabelece que as emissoras de rádio e televisão terão direito a compensação fiscal pela cessão do horário gratuito.

As emissoras terão direito à compensação, mas nós telespectadores não. É a vigarice petista em ação, e o Brasil descendo a ladeira.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Atualizando: Foi aberta petição contra essa proposta absurda neste endereço. Assine você também!

sábado, 13 de novembro de 2010

Dom Quixote na Web!

El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de la Mancha (O Engenhoso Fidalgo Dom Quixote da Mancha), ou, como é melhor conhecida em portunhol, simplesmente Dom Quixote de La Mancha, é a obra literária que  funda o romance moderno, misturando diferentes gêneros literários (picaresca, novelas italianas, entre outros) e diferentes vozes narrativas para satirizar as novelas de cavalaria que, segundo seu autor, Miguel de Cervantes Saavedra, enchiam a cabeça do povo de bobagens.

O protagonista da história, o fidalgo Alonso Quijano, é fanático por esse tipo de histórias e, de tanto lê-las, acaba pirando e decide armar-se cavaleiro, com o nome de Dom Quixote,  e sair pelo mundo a defender os fracos e oprimidos contra os malvados de toda ordem, reais ou sobrenaturais, numa sociedade em que os cavaleiros e os valores da nobreza e a própria já entravam em decadência, dando lugar a ascensão da burguesia.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Caça às bruxas: o caso Mayara Petruso!

No domingo após às eleições, dia 31 de outubro, uma estudante de direito, de 21 anos, Mayara Petruso, revoltada com a vitória da fraudulenta Dilma Roussef, deu vazão aos maus-bofes e a ignorância e postou, em suas páginas do twitter e do facebook, as seguintes declarações:

"Nordestisto não é gente. Faça um favor a SP: mate um nordestino afogado!"

"Afunda Brasil. Dêem direito de voto pros nordestinos e afundem o país de quem trabalha pra sustentar os vagabundos que fazem filhos pra ganhar o bolsa 171”.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

A primeira mulher presidente: grande coisa!

O músico e escritor Tony Belloto (ex-Titãs) escreveu ontem, segunda-feira, em seu blog, sobre a ressaca pós-eleição, sintetizando o que pelo menos 44 milhões de brasileiros sentiram com a vitória da fraudulenta Dilma Roussef:

Você pode argumentar que sendo músico – e trabalhando em geral nos fins de semana – eu deveria adorar as segundas-feiras, pois elas são os meus sábados. Ok, mas o fato de Dilma Roussef ter ganho a eleição me deixou na maior ressaca. Você pode insistir, dizendo que Dilma é a primeira mulher presidente do Brasil, ou que nossa economia vai de vento em popa, e que nossos pobres já não são mais tão pobres. Ok, mas continuo ressacado mesmo assim. Eu não gosto de segundas-feiras.

Sem dúvida, a vitória de Dilma foi um porre e estamos tod@s da oposição de ressaca. Ficou provado que, em nosso país, definitivamente o crime compensa, e os que se pautam por valores éticos somos sequestrados em nossa própria terra. O Brasil trocou a candidatura de uma pessoa experiente, competente e, até onde se sabe, sem escândalos na vida pública, por uma fulana de passado censurado, sem qualquer currículo que a capacite para o cargo e, ainda por cima, envolvida em ilicitudes várias. Alçada ao poder de forma totalmente antidemocrática, pois todo o tipo de ilegalidade eleitoral e criminal foi cometido para fazê-la vencer, sob os olhos cúmplices do Tribunal Superior Eleitoral e da Polícia Federal, todos aparelhados pelo petismo, a agora presidanta vem se ufanando de ser a primeira mulher a governar o Brasil, como se o fato de ser mulher lhe conferisse algum mérito intrínseco. (ver belo vídeo sobre o momento político ao fim da postagem).

Para começo de conversa, não é bem assim. A primeira mulher de fato a governar o Brasil foi a Princesa Isabel lá nos idos de 1887 porque seu pai Dom Pedro II teve que se ausentar do país para tratamento de saúde na Europa. A princesa também foi a primeira senadora brasileira, cargo a que teve direito como herdeira do trono a partir dos 25 anos de idade, segundo a constituição imperial brasileira de 1824. Fora isso, ao contrário de Dilma, a Princesa Isabel não era nenhuma toupeira, mero reflexo do pai ou de um tutor. Tinha ideias próprias e sua participação na abolição da escravatura foi bem além de simplesmente assinar um documento referendando o fim do famigerado sistema. De fato, Dilma Roussef é a primeira mulher a se tornar presidente do Brasil, cargo a que chegou sem histórico que lhe desse tal direito, sem mérito, pelas mãos de seu padim, Lula da Silva, do Estado brasileiro, usado ilegalmente para tal, e de muitos milhões de propaganda paga com o dinheiro dos contribuintes, incluindo os que gostariam de vê-la em Marte não na Terra.

Se sua chegada ao poder tivesse se dado ao menos após um acúmulo de cargos, de preferência obtidos via pleito e não indicação, de méritos como figura pública, de uma vida ilibada, do brilho de sua inteligência, aí sim poderíamos celebrar a chegada de uma mulher ao executivo brasileiro. Como não aconteceu antes, pelo valor simbólico de conquista da igualdade de direitos nesse nível, valeria comemorar. Agora, celebrar a chegada de uma mulher ao poder, apenas por ser mulher, a despeito de como ela alcançou esse patamar, é um sapo que ninguém de bom senso engole. Dilma está usando a questão de gênero somente para respaldar sua ascensão fraudulenta. E tem muita gente de inteligência curta que compra o embuste, fora a imprensa que adora uma boa sabujice.

 Além disso, Dilma repete um ramerrão do feminismo socialista que não gosta que os homens tratem as mulheres como manada, mas adora falar das mulheres como coletividade, passando por cima das inúmeras diferenças individuais que nos distinguem. Aliás, esse é um dos grandes problemas dos movimentos sociais: como o preconceito e a discriminação tratam determinados indivíduos como espécie, tipo, "raça" (o homossexual, a mulher, o negro), os discriminados se unem em nome dessa mesma suposta coletividade para reivindicar direitos (o que é necessário e justo) mas tendem a incorporar também a visão essencialista dos opressores que atribuem qualidades específicas comuns a todos os estigmatizados.

Nessas, as individualidades somem, acarretando formulações equivocadas porque homogeneizantes. Assim as mulheres seriam mais sensíveis do que os homens por serem mulheres, por serem mães, seriam menos violentas por serem mulheres, etc. A realidade desmente essas generalizações, ainda que as formas de insensibilidade e violência das mulheres sejam diferentes das dos homens  por questões conjunturais. Na realidade, contudo, não existem qualidades ou defeitos inerentes a todas as mulheres. Como os homens, as mulheres têm cada uma sua individualidade, que é o que as torna excepcionais, medianas ou medíocres. Apesar da educação diferenciada que, ainda hoje, força homens e mulheres a seguirem determinados comportamentos assim como formas de se vestir e pentear diferentes, a verdade é que há mais coisas em comum entre alguns homens e mulheres do que entre mulheres e mulheres e entre homens e homens. Tudo depende muito mais do que cada pessoa, a despeito do invólucro que a natureza lhe outorgou, tem como valores, idiossincrasias, afinidades.

Por tudo isso, não vejo nada a celebrar no fato de Dilma Roussef ter sido eleita presidente da República do Brasil. Por seu histórico, pela forma que chegou ao poder, pelas alianças que urdiu e que vão lhe cobrar o apoio a peso de ouro, além dos desafios próprios ao cargo e da herança do governo anterior, essa senhora tem tudo para não dar conta do recado. Ela não é  Michelle Bachelet que chegou à presidência do Chile, antecedida por passagens relevantes no Ministério da Saúde e da Defesa de seu país, o que a tornou conhecida do público e popular o suficiente para candidatar-se e eleger-se sem o festival de ilegalidades que favoreceram Dilma Roussef. Ao contrário, as experiências de Roussef, como empresária e administradora em cargos governamentais, não só não foram bem-sucedidas como estiveram manchadas por sérios escândalos de corrupção.

Poderia citar vários outros exemplos de mulheres que chegaram a ser presidentes ou primeiras-ministras, cada uma com uma história pregressa ao cargo e durante o cargo que conta histórias diferentes, dependendo de cada mulher, de seus méritos como pessoa, como profissional, das ideias que defende. Resumindo, que essa postagem já está muito longa, ser mulher não é nem mérito nem demérito intrínseco, portanto não vale como trunfo para Dilma Roussef. No caso dela, ser a primeira mulher presidente não é nenhuma grande coisa.

Na verdade, a vitória dessa senhora, embora pertençamos ao mesmo gênero, não só não me alegrou em nada como me deixou de ressaca e de luto pelo Brasil. Ao contrário do que ela e outros que adoram generalizações idiotas dizem, acho inclusive que ela deprecia a imagem das mulheres do país que, ao contrário dela, lutam, sem padrinhos, no duro cotidiano de uma sociedade ainda bem machista.


sábado, 30 de outubro de 2010

Vote consciente não com base nos prostitutos de opinião. Vote pela democracia! Vote Serra presidente!

Os institutos de pesquisa foram os grandes derrotados do primeiro turno das eleições junto com a arrogância e a prepotência do megalomaníaco etílico do Planalto e seu séquito. Todos erraram por muito o resultado do pleito, para os vários cargos em disputa, inclusive o Datafolha, o único, dos mais conhecidos entre eles, que ainda consegue ter alguma credibilidade perante à sociedade. Mesmo sobre este, contudo, pairam sombras de pesquisas de encomenda por via indireta (já que o instituto diz não aceitar contratos com partidos).

Quanto aos outros mais conhecidos, vale ressaltar que ou são ligados ao PT, como no caso do Vox Populi e do Sensus, ou são dados a produzir resultados de pesquisas de acordo com o gosto do freguês, como o IBOPE. Marcos Coimbra, dono do Vox Populi, segundo consta, é petista e inclusive escreve na revista Carta Capital, porta-voz do petismo e da esquerda viúva do Muro de Berlim, tão bem-sucedida que depende de verbas governamentais para existir.

Clésio Andrade, do Sensus, escreveu em seu twiter do dia 26 de outubro: Fizemos carreata em Boa Esperança, reunião com lideranças em Varginha e mobilização em outras diversas cidades do sul de Minas.#dia31vote13 Necessário dizer mais alguma coisa?

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Milhares de pessoas fazem a caminhada pela Democracia com Serra45

Gustavo Campos (blog Lúcio Neto)

Não sei precisar quantas pessoas estiveram na manifestação de apoio a Serra e em defesa da democracia brasileira, mas, sem dúvida, deve ter chegado às 3000. Gente de todas as idades, de todos os gêneros, cores, orientações sexuais, de cadeiras de roda ou a pé acompanharam a caminhada encabeçada pelo saudoso presidente Fernando Henrique Cardoso, o governador eleito Geraldo Alckmin, o prefeito Gilberto Kassab, o senador eleito Aloysio Nunes, entre outras personalidades tucanas. Foi bonito e emocionante ver a população paulista, paulistana e inclusive de outros estados e cidades conscientes da responsabilidade que todos temos no momento na preservação de nossos direitos individuais, de nossa democracia. Nota dez. Depois acrescento outras imagens ou vídeos! No UOL, há várias imagens http://goo.gl/SerY


Manifestação de apoio a Serra em defesa da Democracia - Praça da República - São Paulo from midiaamais on Vimeo.

sábado, 23 de outubro de 2010

Lula parece conhecer bem os agressores de Serra!


Foto do blog do Senador Álvaro Dias identifica mais amigos do capo envolvidos na agressão a Serra
 Desde o tumulto durante a caminhada do presidenciável José Serra, em Campo Grande no Rio, um assunto mobilizou jornais, revistas, a Internet, as redes sociais, o escambau: qual a natureza do objeto que atingiu a cabeça do tucano? Tudo porque uma edição suspeita das imagens do barraco, feita pelo SBT, buscava provar que o candidato forjara a razão pela qual teria ido ao médico finda a batalha, já que não teria sido atingido por uma bobina (rolo) de fita crepe (ou de adesivos) mas sim por uma bolinha de papel.

Denunciei a edição de má-fé do SBT aqui no blog, antes do Jornal Nacional fazê-lo, porque já tinha visto várias imagens do tumulto e observado que a cena, onde o candidato é atingido por uma bolinha de papel (pelo que parece) não era a mesma onde ele surge protegendo a cabeça com as mãos. Na verdade, no meio da pancadaria, vários objetos foram lançados contra o candidato e sua comitiva, incluindo bolinhas de papel, paus e pedras, além da famosa bobina de fita crepe. A repórter da Globo, Mariana Gross, inclusive, levou uma pedrada. Que não tenha havido mais feridos deve-se a ajuda divina.

E aí entramos no X da questão, que já havia comentado antes, mas nunca é demais repetir: mesmo se não tivessem sido lançados objetos contra Serra e seus aliados, o tumulto causado pelos petistas seria violento de qualquer forma. A tropa de choque petralha foi à caminhada do adversário com a clara intenção de impedir que ela acontecesse, o que é uma violência em si mesma, já que Serra tem todo o direito de fazer campanha sem ser molestado ou agredido nem verbal muito menos fisicamente.

Lula, canalhamente, como lhe é de costume, tentou desviar a atenção das ações de sua milícia para a questão bizantina sobre a natureza do artefato, acusando Serra de ter armado uma farsa, pois bolinha de papel não fere ninguém (relativo, né?, porque se bater no olho da pessoa pode sim machucar). A questão principal, que foi a organização do tumulto para impedir a caminhada, ficou de lado e, até agora, inclusive, os programas da candidata de Lula continuam batendo na tecla da farsa, embora as declarações de Lula e dela própria tenham pegado bem mal.

Agora, para emporcalhar ainda mais as já muito sujas falas e atitudes desse senhor, que ocupa a Presidência sem merecê-la, eis que aparece foto dele abraçado com os meliantes do PT que lideraram a baixaria contra Serra (foto no início do post), provando que ele os conhece pessoalmente. Um deles foi identificado como Sandro Sandro Alex de Oliveira Cezar, vulgo Sandro Mata Mosquito, deputado estadual do PT não-eleito; outro, o homem negro, que está à esquerda de Lula na foto, é José Ribamar de Lima, diretor do SINTSAÚDE - Sindicato dos Trabalhadores em Combate as Endemias e Saúde Preventiva do Rio Janeiro; os demais não foram identificados ainda. Agora vejam abaixo mais fotos dos amigos do Lula em ação no dia 20. Quem trouxe a notícia à baila foi o blogueiro Lúcio Neto.
Sandro Mata Mosquito no destaque

José Ribamar de Lima, do SINT-SAÙDE, em ação


quinta-feira, 21 de outubro de 2010

O discurso do estuprador: Lula diz que Serra armou agressão que sofreu!

Qualquer semelhança não é mera coincidência
Como já é costume, Lula, o Luís 51, imperador da cachaça, preocupado com os efeitos eleitorais da baixaria, promovida por suas milícias raivosas no Rio, contra Serra, saiu-se hoje com uma história de que o candidato tucano teria armado uma farsa para se fazer de vítima. Da mesma forma como, quando da eclosão do caso da quebra do sigilo fiscal de parentes e integrantes da família de Serra, havia responsabilizado as disputas internas do próprio PSDB pelo crime. Inclusive volta agora a tentar introduzir a discórdia entre os tucanos, acusando Aécio Neves (PSDB-Minas) por essas quebras de sigilo, embora esteja confirmada a versão de que os dados dos tucanos foram violados, a fim de servir para formar dossiê contra o presidenciável Serra, por grupo de inteligência de Dilma.

Hoje, a partir de uma edição suspeitíssima feita pelo SBT do tumulto de ontem no Rio, Lula disse que Serra armou uma farsa no subúrbio carioca para se fazer de vítima, inclusive comparando-o com o goleiro chileno Rojas, jogador que fingiu ter sido atingido por um foguete no Maracanã, durante as eliminatórias para a Copa do Mundo de 1990. (veja vídeo ao fim do texto)

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Ultrapassando todos os limites: Vídeo de Serra agredido no Rio de Janeiro por petistas!

Serra foi atingido por bobina de adesivos

Durante caminhada na tarde de hoje, no calçadão de Campo Grande, tradicional área de comércio popular do bairro da Zona Oeste do Rio de Janeiro, José Serra foi atingido na cabeça por uma bobina de adesivos lançada por militantes do PT. O tumulto teve início depois que cabos eleitorais do PT, partido de Dilma Roussef, adversária de Serra no segundo turno das eleições, entraram em confronto com militantes tucanos. Com a truculência característica, petistas começaram a agredir o candidato com palavrões e depois partiram para ataques físicos, com empurra-empurras, seguidos de lançamentos de objetos contra a comitiva do candidato tucano.

No quebra-quebra que se formou, Serra foi atingido na cabeça por uma bobina de adesivos, tendo que se proteger, por alguns minutos, em uma van, com seu vice e o deputado federal Fernando Gabeira (PV), que o acompanhava, para fugirem da pancadaria. (Veja vídeo ao final do texto)

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

No debate da RedeTv, Dilma teve seu pior desempenho!

Cara de Dilma após o debate
Política tem um pouco da paixão que muitos nutrem pelo futebol, para citar um dos esportes que mais mobiliza as multidões. E, como todo mundo sabe, a paixão tende a ofuscar a razão. Entretanto, minha avaliação do debate entre os presidenciáveis ontem à noite na RedeTV, em parceria com a cada vez mais estranha Folha de São Paulo, será bem racional.

Em minha defesa, lembro que já avaliei o desempenho da candidata petista de forma até positiva (o desempenho, não o conteúdo de suas falas). Ontem, contudo, Dilma teve, sem dúvida, o pior de seus momentos. Foi menos agressiva que no debate anterior, onde se mostrou uma verdadeira PTbull, mas não deixou de atacar incisivamente o candidato tucano com o ramerrão privatista e uma adulação rasteira ao povo paulista que, há 16 anos, não quer saber do PT por aqui. Tudo isso, além do mais, foi feito de forma gaguejante, confusa, incompreensível até mesmo, sobretudo na insistente pergunta sobre supostos problemas de privatização da Gas Brasiliano, fornecedora de gás natural do interior paulista, numa história que - aposto - nenhum paulista conseguiu entender direito, quanto mais quem não é daqui.

Também em suas tentativas de adular os paulistas para ganhar votos no estado, Dilma se referiu a população bandeirante como "polvo" paulista. Tenho especial admiração pelo polvo paulista -disse a senhora.  Não existe reciprocidade, bom salientar. Por comentários no twitter, certa hora, sobrou igualmente para a população do Piauí, da mesma forma alcunhada de "polvo" do Piauí. Parece que Dilma considera que os tentáculos do PT se estenderam mais do que se imaginava.

E o colar de pérolas da Dilma não parou por aí. Ao referir-se à crise econômica mundial, trocou as bolas e sapecou a seguinte frase: O Brasil foi o primeiro a entrar na crise e o último a sair. Mesmo?!

Quando Serra comentou que o PT tinha sido contra o plano Real, Dilma pediu direito de resposta (negado), alegando: Ele disse que eu sou a favor da inflação. Risadas gerais.

E para o Gran Finale, reservou a seguinte sentença (acho que de morte de sua candidatura): Farei um governo voltado para a pessoa humana, sobretudo para a pessoa humana, que será respeitada. Os bichos se sentiram discriminados e prometem uma manifestação de protesto contra Dilma, no vão do MASP, no próximo sábado à tarde.

Cheguei a sentir pena da Dilma. Juro. Na foto acima, que circula pela Internet, dá para ver que nem ela gostou de seu próprio desempenho. Pior é pensar que ela ainda pode ter chances de ganhar, com a ajuda dos prostitutos de pesquisa, dos jornalistas chapa-branca, da propaganda eleitoral enganosa e do dinheiro dos contribuintes fartamente distribuído entre os correligionários. Aí será o caso de sentir pena de nós mesmos, mas tenho esperanças que o candidato Serra, visivelmente melhor preparado, em todos os sentidos, para o cargo da presidência, seja vencedor desta tragicômica batalha.

Para terminar, como o tema das privatizações dominou o debate de ontem e vem dominando os ataques da candidata petista a Serra, na campanha eleitoral, seguem dados sobre as mudanças nas telecomunicações brasileiras, após a privatização das mesmas durante o governo Fernando Henrique Cardoso. Quem já entrou na faixa dos "enta" como eu, lembra perfeitamente dos pesados e feios telefones fixos, que viviam emudecendo e eram tão caros que serviam de investimento, coisa da classe média para cima. Com a privatização, hoje todo mundo tem celular: a faxineira, o peão de obra, o vendedor de rua, o camelô. Tudo por culpa da privatização. Vejam abaixo como era e como ficou. Ouçam também o comentário de Arnaldo Jabor sobre privatizações clicando no link ao final do texto. Trata-se de um antídoto imprescindível contra as mentiras petistas.

Telefonia fixa
1990: 10,3 milhões de linhas
2010: 60 milhões de linhas

1990: linha ao preço de R$ 9 mil.
2010: linhas custam R$ 190 milhões.

Aumento do recolhimento de impostos na telefonia entre 1998 e 2010:
R$ 435 milhões

Celulares1990: 667 linhas
2010: 190 milhões de linhas

Percentual de residências com telefonia no Brasil
1998: 32%
2010: 84%

CBN - A rádio que toca notícia - Arnaldo Jabor

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Da série "Uma imagem vale mais do que mil palavras": As duas caras da Dilma!

Dilma Rosneff, candidata do PT, muda de ideia como quem muda de roupa, o que não é nenhuma novidade para uma petista. A questão é que, no caso dela, as mudanças são a jato. Ela literalmente muda ao sabor do vento ou da música eleitoral. Conclusão, vamos chegar ao fim das eleições sem saber o que pensa de fato uma candidata à Presidência da República.

Isso sem falar no seu passado nebuloso da época da luta armada cujos arquivos se tornaram inacessíveis à opinião pública para que deles não se faça uso político. Como é que é? O que há de tão condenável nesses arquivos que não possamos ter conhecimento?  Corremos o risco de ver eleita uma senhora cujo passado ignoramos?

A Folha de São Paulo entrou com mandado de segurança para ter acesso aos arquivos, mas Maria Elizabeth Rocha, Ministra do Superior Tribunal Militar, indicada por Dilma, fez pedido de vista (mais tempo) para analisar o processo.  Em outras palavras, tempo para enrolar até o fim das eleições.

Enquanto isso, o hábito de mudar de ideia como quem muda de roupa de Dona Roussef já virou até vídeo, como podem conferir abaixo. Mais um engraçado e muito bem feito vídeo do @exilado, com imagens e falas da própria Dilma, sobre um mesmo assunto, em momentos diferentes. Ah, e claro, as mudanças são todas recentes.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Dilma tirou a máscara no debate de ontem na BAND!

Hoje boa parte da grande imprensa on-line  está dizendo que o debate da BAND da noite de ontem restituiu o verdadeiro significado da palavra debate porque teria havido um confronto real entre os candidatos, diferentemente do primeiro turno onde a troca de ideias ou de farpas foram raras nos encontros do tucano com a petista.

Sinceramente, não concordo com essa perspectiva. O que vi foi uma Dilma destemperada atacando Serra o tempo inteiro que se defendeu com tranquilidade, embora - para mim - tenha pecado por falta de respostas mais enérgicas às mordidas da agora intitulada Pitdilma. Pode ser que, como detesto demais a fulana, nem tenha ouvido suas propostas, mas sinceramente não as escutei.

Ouvi só os rugidos da fera, justificando seu destempero com a desculpa esfarrapada de que a campanha de Serra estaria movendo boatos caluniosos a seu respeito (referindo-se à questão do aborto). E, fora essa temática, só consegui detectar também a velha ladainha de que Serra irá privatizar mundos e fundos se ganhar, ao que ele respondeu adequadamente. Teve inclusive uma boa tirada ao afirmar que, se, no governo Fernando Henrique Cardoso, a telefonia não tivesse sido privatizada, os celulares não seriam um item de uso universal como o são hoje no Brasil. Inclusive ironizou: O PT não queria essa privatização. O Brasil do PT falaria de orelhão.  (Vejam ao fim do texto o divertido vídeo A Valsa da Dilma)

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

E não é que até o Bolsa Família saiu da cabeça de um tucano?

Marconi Perillo (PSDB)
foi o real autor do Bolsa Família
É incrível como, a cada dia que passa, a gente se depara com mais uma mentira do lulo-petismo. Como disse o Marcelo Madureira, no Manhattan Conection de domingo, 3/10 (veja vídeo abaixo), acho que vai levar bastante tempo até o Brasil se recuperar dessa imensa degradação moral, intelectual e política estabelecida por essa gente infame.

Como são muito medíocres e nunca tiveram programa para o Brasil e sim apenas um projeto de poder a fim de se instalar eternamente nos governos brasileiros, os lulo-petistas tiveram que copiar os projetos alheios. Nessas, para a felicidade do Brasil, Lula manteve a estabilidade econômica estabelecida por Fernando Henrique Cardoso, com o Real e a responsabilidade fiscal, entre outras medidas, e deu continuidade aos programas sociais de seu antecessor, mudando apenas seus nomes.

No caso do Bolsa Família, pensava-se até ontem que ele era fruto da junção, pensada e feita pelo governo Lula, dos projetos de FHC denominados de bolsa-escola, vale-gás e bolsa-alimentação.  Enfim, pensava-se que pelo menos essa ideia era de autoria do lulo-petismo. Mas não é que, agora, vem à tona vídeo que mostra que até o Bolsa Família foi criação de um tucano. É mole?

A ideia foi do governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB, à época do lançamento do programa (este ano, Marconi foi para segundo turno na disputa pelo governo de Goiás novamente). E quem afirma isso, como se pode constatar no vídeo abaixo, é o próprio Lula. Num dos trechos do vídeo, sobre o lançamento do Bolsa Família, ele reconhece a autoria do projeto que depois, como o tudo mais, usurpou:

Vou lembrar aqui o governador Marconi Perillo. E faço aqui justiça: além de ser o estado que mais tem essa política de renda, foi o companheiro que, na primeira reunião que tivemos de governador, sugeriu a ideia da unificação das políticas sociais desse país.

Segue também o desabafo do Marcelo Madureira, humorista do Casseta Planeta, sobre Lula e o atual estado da política brasileira.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Onda azul: Vista azul para ir votar no dia 3!

No dia 3, domingo, vamos votar vestindo azul, cor do céu, cor do mar. Vamos deixar claro que o Brasil não é vermelho.

Em psicodinâmica das cores, vemos que a cor AZUL acalma, traz clareza mental, favorece as atividades intelectuais e a meditação;  produz tranqüilidade, paz de espírito, segurança, saúde emocional e afetuosidade, promovendo o entendimento entre as pessoas. Ela simboliza também a devoção, a fé,  a aspiração, a sinceridade, a lealdade e a confiança.

E dá sorte! Para lembrar disso, reproduzo abaixo o vídeo do Frejat cantando Vesti Azul, do Nonato Buzar, sucesso na voz de Wilson Simonal. E claro, vestindo azul, votemos 45 para presidência da república.

domingo, 26 de setembro de 2010

O Histórico Editorial do Estadão!

Seguindo prática comum em países de democracia plena, como os EUA e as democracias europeias, o Estadão de hoje (o artigo já estava on-line desde ontem) declarou abertamente seu apoio a candidatura de José Serra em editorial intitulado O Mal a evitar. Pena que só agora. Pena, aliás, que só agora também se nota a sociedade civil se organizando para impedir a marcha autoritária do lulo-petismo. Brasileiro, como sempre, se atrasa até em situações de urgência.

Naturalmente, os petralhas e os manés da vida, que de democracia não entendem nada, estão histéricos com a posição do jornal, mas está mais do que na hora de as pessoas de bem neste país pararem de aceitar esses fascistas como interlocutores. Diálogo a gente tem com democratas, não com fascistas. O Estadão nada mais fez do que atualizar o Brasil com o resto do mundo democrático, mostrando-se pioneiro com esta posição e deixando para trás seu rival A Folha de São Paulo (que também fez editorial em defesa da liberdade de imprensa), mas continuou, como sempre, muito em cima do muro, num momento em que é preciso tomar o lado da democracia.  

Abaixo, transcrevo o histórico editorial do centenário mas pioneiro O Estado de São Paulo. Assino embaixo cada linha e parabenizo a coragem do jornal pelo feito.

O Mal a evitar!
A acusação do presidente da República de que a Imprensa "se comporta como um partido político" é obviamente extensiva a este jornal. Lula, que tem o mau hábito de perder a compostura quando é contrariado, tem também todo o direito de não estar gostando da cobertura que o Estado, como quase todos os órgãos de imprensa, tem dado à escandalosa deterioração moral do governo que preside. E muito menos lhe serão agradáveis as opiniões sobre esse assunto diariamente manifestadas nesta página editorial. Mas ele está enganado. Há uma enorme diferença entre "se comportar como um partido político" e tomar partido numa disputa eleitoral em que estão em jogo valores essenciais ao aprimoramento se não à própria sobrevivência da democracia neste país.

Com todo o peso da responsabilidade à qual nunca se subtraiu em 135 anos de lutas, o Estado apoia a candidatura de José Serra à Presidência da República, e não apenas pelos méritos do candidato, por seu currículo exemplar de homem público e pelo que ele pode representar para a recondução do País ao desenvolvimento econômico e social pautado por valores éticos. O apoio deve-se também à convicção de que o candidato Serra é o que tem melhor possibilidade de evitar um grande mal para o País.

Efetivamente, não bastasse o embuste do "nunca antes", agora o dono do PT passou a investir pesado na empulhação de que a Imprensa denuncia a corrupção que degrada seu governo por motivos partidários. O presidente Lula tem, como se vê, outro mau hábito: julgar os outros por si. Quem age em função de interesse partidário é quem se transformou de presidente de todos os brasileiros em chefe de uma facção que tanto mais sectária se torna quanto mais se apaixona pelo poder. É quem é o responsável pela invenção de uma candidata para representá-lo no pleito presidencial e, se eleita, segurar o lugar do chefão e garantir o bem-estar da companheirada. É sobre essa perspectiva tão grave e ameaçadora que os eleitores precisam refletir. O que estará em jogo, no dia 3 de outubro, não é apenas a continuidade de um projeto de crescimento econômico com a distribuição de dividendos sociais. Isso todos os candidatos prometem e têm condições de fazer. O que o eleitor decidirá de mais importante é se deixará a máquina do Estado nas mãos de quem trata o governo e o seu partido como se fossem uma coisa só, submetendo o interesse coletivo aos interesses de sua facção.

Não precisava ser assim. Luiz Inácio Lula da Silva está chegando ao final de seus dois mandatos com níveis de popularidade sem precedentes, alavancados por realizações das quais ele e todos os brasileiros podem se orgulhar, tanto no prosseguimento e aceleração da ingente tarefa - iniciada nos governos de Itamar Franco e Fernando Henrique - de promover o desenvolvimento econômico quanto na ampliação dos programas que têm permitido a incorporação de milhões de brasileiros a condições materiais de vida minimamente compatíveis com as exigências da dignidade humana. Sob esses aspectos o Brasil evoluiu e é hoje, sem sombra de dúvida, um país melhor. Mas essa é uma obra incompleta. Pior, uma construção que se desenvolveu paralelamente a tentativas quase sempre bem-sucedidas de desconstrução de um edifício institucional democrático historicamente frágil no Brasil, mas indispensável para a consolidação, em qualquer parte, de qualquer processo de desenvolvimento de que o homem seja sujeito e não mero objeto.

Se a política é a arte de aliar meios a fins, Lula e seu entorno primam pela escolha dos piores meios para atingir seu fim precípuo: manter-se no poder. Para isso vale tudo: alianças espúrias, corrupção dos agentes políticos, tráfico de influência, mistificação e, inclusive, o solapamento das instituições sobre as quais repousa a democracia - a começar pelo Congresso. E o que dizer da postura nada edificante de um chefe de Estado que despreza a liturgia que sua investidura exige e se entrega descontroladamente ao desmando e à autoglorificação? Este é o "cara". Esta é a mentalidade que hipnotiza os brasileiros. Este é o grande mau exemplo que permite a qualquer um se perguntar: "Se ele pode ignorar as instituições e atropelar as leis, por que não eu?" Este é o mal a evitar.

Texto publicado na seção "Notas e Informações" da edição de 26/09/2010

sábado, 25 de setembro de 2010

Da série uma imagem vale mais do que mil palavras: Qual o papel da imprensa?

O jornal Extra Online, do Rio, publicou uma capa fictícia, na forma de uma carta de baralho, onde aparece Lula como rei de copas, com duas manchetes distintas, que se observa ao virar o baralho de cima para baixo ou vice-versa.

Na manchete, Bonito, hein, Lula..., a visão dos que acham que o papel da imprensa é fiscalizar os atos de qualquer governo.  

Na manchete Lula é bonito, a visão dos que acham que o papel da imprensa é bajular os reizinhos do poder.

Muito bem bolado! E vejam o que disse o  presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, sobre os ataques à imprensa, ontem, dia 23 de setembro.

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, alertou em discurso na noite desta quinta-feira (23), no Rio de Janeiro, sobre os riscos correntes à liberdade de imprensa no Brasil.
 
Durante evento de abertura do Colégio de Presidentes de Seccionais da OAB, Cavalcante demonstrou-se preocupado com a visão do governo sobre o papel dos meios de comunicação e dos profissionais que neles trabalham. "Ataques à liberdade de imprensa são verberados, perigosamente, dentro do próprio governo, da figura do presidente da República, como se de repente jornalistas e formadores de opinião tomassem parte de uma conspiração eleitoral", afirmou.

"[Os ataques] são, na verdade, um atentado ao estado de direito na medida em que a liberdade de imprensa é um bem fundamental à cidadania desse país e à democracia. Eu tenho certeza que mais do que isso, o mais importante é privilegiarmos e fortalecermos as instituições. Elas são muito maiores que os homens, sejam eles presidentes sejam eles de quaisquer condição social", continuou.

"A liberdade de imprensa é uma instituição da República, é um direito constitucional inegociável. Não será o ataque de uma autoridade ou de quem quer que seja que vai jogar por terra esse direito tão dificilmente conquistado", afirmou.

Ainda no discurso, o presidente da OAB lembrou os recentes "escândalos", como "casos de quebra de sigilo fiscal e financeiro com envolvimento de agentes públicos", assim como "denúncias sobre a existência de tráfico de influência e corrupção na esfera do poder, resultando no afastamento de uma ministra de Estado e na prisão de mais um governador", em referência à queda da ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, e à prisão do governador do Amapá, Waldez Goez.

"Por fim, acredito ser este o momento propício para diante de tãos maus exemplos advindos do sistema eleitoral partidário, rediscutir o nosso processo eleitoral interno, não deixando ser contaminados por práticas condenáveis e toda sorte de abusos", completou.
Fonte: G1

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Campanha de Dilma Rousseff quer tirar vídeos da oposição do ar!

Mal foram veiculados vídeos da campanha do PSDB contra os desmandos de corrupção e autoritarismo do lulo-petismo, com foco na canditadura Dilma, e a turma que a apóia já entrou hoje, dia 23,  com ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a coligação "O Brasil Pode Mais" do candidato tucano, José Serra. Dilma pede liminar para retirar o vídeo do ar e impedir o PSDB de exibi-lo na mídia tradicional. A coligação teria, ainda, solicitado investigação sobre o caso (qual?) à Polícia Federal e ao Ministério Público.

A alegação, para a retirada do vídeo, é que ofende a honra e a dignidade da candidata, pelo conteúdo ofensivo, degradante e falso, em vez de discutir propostas de governo antagônicas ou diversas. Mas onde estaria a ofensa? Em comparar os petistas com rottweilers? Quem já se viu na mira de um deles, sabe que a comparação é perfeita. Por minha postagem sobre o Lacerda, um petralha postou nos comentários do CBOX que sou uma égua velha, fora ameaças de morte que já rolaram por aqui. Fora ainda o que rola em outros blogs, de deixar qualquer um(a) de cabelos em pé, tipo ameaçar a vida da família inteira do blogueiro, com um linguajar que não se encontra facilmente nem na boca do lixo.

Ou será que a ofensa estaria na afirmação a respeito do combate sistemático que o lulo-petismo faz à imprensa? Não faltam documentos para provar a veracidade dessa colocação. Ou que a Dilma mentiu sobre seu currículo e sobre seus feitos na administração do governo Lula? Também há como provar. Ou que, em caso de sua vitória, quem vai governar é Zé Dirceu e outros petistas pra lá de barra-pesada?

De fato, na minha opinião, falsa em um desses vídeos é afirmação de que Lula teria feito muita coisa pelo país (o quê?), sendo a principal delas conter os radicais do PT, o que Dilma não fará (isso é certo), caso ganhe . E sobretudo falso é afirmar que Lula foi quem impediu que o PT acabasse com a imprensa livre. Essa é de doer, principalmente considerando o festival de ataques do Mussolini tupiniquim, nos últimos dias, contra a imprensa por conta da exposição das inúmeras falcatruas envolvendo Erenice Guerra, braço-direito de Dilma na Casa Civil.

No mais, a série de vídeos (que aparecem compilados abaixo) tem tom contundente mas adequado para uma campanha onde o adversário é o PT. Além disso, petista falando de honra e dignidade (o que fazem sempre que alguém diz alguma verdade sobre eles ou os pega no flagra de algum crime) é mesmo uma piada. O cinismo da quadrilha não tem limites porque permanece impune.

Vejam o vídeo, antes que o proíbam, e digam o que acham. Pra mim, é até pouco!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Manifesto pela Democracia: Vamos assinar!

Hélio Bicudo lê o manifesto
Hoje, no Largo do São Francisco (São Paulo), em frente à histórica Faculdade de Direito do Largo São Francisco, ao meio dia, um grupo de juristas, intelectuais e artistas leu o manifesto que transcrevo abaixo e colheu assinaturas de apoio à luta por nossa ameaçada democracia.

Nos últimos dias dessa fraudulenta eleição, os desmandos de corrupção e as ameaças do lulo-petismo à democracia têm sido de tal ordem que finalmente a sociedade civil - a verdadeira, não a de alguns movimentos sociais chapa-branca - começou a se mexer. Notas de organizações da imprensa e da OAB contra os ataques de Lula à mídia, por conta da exposição que esta tem feito, dos escândalos de corrupção na Casa Civil, mais declarações de jornalistas, historiadores, blogueiros, como eu, entre outros, desaguaram hoje nessa manifestação que concentrou 250 pessoas no coração de São Paulo. Foi o lançamento que todos podem e devem assinar no site Se Liga Brasil. O manifesto já tem 4600 assinaturas, e elas aumentam a todo o minuto.

Vejam o texto do manifesto abaixo e cliquem em ASSINE A PETIÇÃO para dar seu apoio à democracia brasileira, ao nosso país.

Numa democracia, nenhum dos Poderes é soberano. Soberana é a Constituição, pois é ela quem dá corpo e alma à soberania do povo.

Acima dos políticos estão as instituições, pilares do regime democrático. Hoje, no Brasil, inconformados com a democracia representativa se organizam no governo para solapar o regime democrático.

É intolerável assistir ao uso de órgãos do Estado como extensão de um partido político, máquina de violação de sigilos e de agressão a direitos individuais.

É inaceitável que militantes partidários tenham convertido órgãos da administração direta, empresas estatais e fundos de pensão em centros de produção de dossiês contra adversários políticos.

É lamentável que o Presidente esconda no governo que vemos o governo que não vemos, no qual as relações de compadrio e da fisiologia, quando não escandalosamente familiares, arbitram os altos interesses do país, negando-se a qualquer controle.

É inconcebível que uma das mais importantes democracias do mundo seja assombrada por uma forma de autoritarismo hipócrita, que, na certeza da impunidade, já não se preocupa mais em valorizar a honestidade.

É constrangedor que o Presidente não entenda que o seu cargo deve ser exercido em sua plenitude nas vinte e quatro horas do dia. Não há “depois do expediente” para um Chefe de Estado. É constrangedor também que ele não tenha a compostura de separar o homem de Estado do homem de partido, pondo-se a aviltar os seus adversários políticos com linguagem inaceitável, incompatível com o decoro do cargo, numa manifestação escancarada de abuso de poder político e de uso da máquina oficial em favor de uma candidatura. Ele não vê no “outro” um adversário que deve ser vencido segundo regras, mas um inimigo que tem de ser eliminado.

É aviltante que o governo estimule e financie a ação de grupos que pedem abertamente restrições à liberdade de imprensa, propondo mecanismos autoritários de submissão de jornalistas e de empresas de comunicação às determinações de um partido político e de seus interesses.

É repugnante que essa mesma máquina oficial de publicidade tenha sido mobilizada para reescrever a História, procurando desmerecer o trabalho de brasileiros e brasileiras que construíram as bases da estabilidade econômica e política, que tantos benefícios trouxeram ao nosso povo.

É um insulto à República que o Poder Legislativo seja tratado como mera extensão do Executivo, explicitando o intento de encabrestar o Senado. É deplorável que o mesmo Presidente lamente publicamente o fato de ter de se submeter às decisões do Poder Judiciário.

Cumpre-nos, pois, combater essa visão regressiva do processo político, que supõe que o poder conquistado nas urnas ou a popularidade de um líder lhe conferem licença para ignorar a Constituição e as leis. Propomos uma firme mobilização em favor de sua preservação, repudiando a ação daqueles que hoje usam de subterfúgios para solapá-las. É preciso brecar essa marcha para o autoritarismo.

Brasileiros erguem sua voz em defesa da Constituição, das instituições e da legalidade.

Não precisamos de soberanos com pretensões paternas, mas de democratas convictos.

sábado, 18 de setembro de 2010

Risco de fraude nas eleições: a OAB não referenda as urnas eletrônicas!

Nestas eleições fraudulentas - porque desequilibradas pelas ilegalidades eleitorais cometidas pelo governo, em apoio a sua candidata, com uso do Estado brasileiro para fazer campanha, fora as negociatas milionárias com o empresariado nacional que do capitalismo só entende a usura e o lucro fácil - sempre também se levantou a hipótese de fraude nas urnas eletrônicas, história considerada por gente da própria oposição como fantasiosa.

Pessoalmente, nunca vi tal hipótese como irreal, ainda mais sob a atual conjuntura. Já houve até programas noticiosos denunciando fraudes em cidades brasileiras, o que, para variar, não deu em nada. Com o grau de aparelhamento e de corrupção das instituições do país pelo PT, com quebra do sigilo fiscal de cidadãos e cidadãs (do segredo dos dados financeiros das pessoas) sem a maior cerimônia, por que as urnas eletrônicas que funcionam com base em um programa de software (e todos são burláveis) não poderia ser vítima de fraude? Se os hackers (os espiões eletrônicos) já invadiram até o Pentágono (sede do departamento de defesa dos Estados Unidos), por que não fraudariam as urnas eletrônicas sob um governo fraudulento até a medula?

Agora a história da possibilidade de fraude das urnas ganha contornos mais nítidos com a recusa da Ordem dos Advogados do Brasil de homologá-las, ou seja, de confirmar que elas são confiáveis, fazendo inclusive um mea culpa por ter assinado, sem a devida confirmação técnica, atestado de inviolabilidade das mesmas em anos anteriores.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Doméstica Verônica Maldonado afirma ter tido um longo romance com Dilma Rousseff.

Verônica Maldonado
Essa campanha eleitoral tem tido de tudo um pouco no terreno da baixaria: o mundo fantasioso da propaganda do PT, com um Brasil que só existe no papel, escândalos de corrupção e crimes contra a privacidade de candidatos da oposição, e agora uma moça, chamada Verônica Maldonado, que aparece se dizendo amante da Dilma Roussef.

Mesmo que Dilma tenha tido caso com a tal Verônica, o que não é impossível, mas pouco provável, aparecer a essas alturas do campeonato reivindicando pensão pela suposta união estável das duas é óbvio oportunismo. Bem possível também que essa história da suposta amante da Dilma seja obra da direita "cristã" e moralista que parece ser mais oposição ao PT por questões como o aborto e os direitos homossexuais do que pelos graves problemas de corrupção, aparelhamento do Estado e projetos autoritários do partido.

Como já tive oportunidade de escrever aqui no blog, a ligação da questão dos direitos homossexuais com o PT é uma das maiores roubadas que o movimento LGBT brasileiro já cometeu, pois apenas e tão somente reforça os preconceitos de quem já é bem preconceituoso. Os direitos homossexuais nada tem a ver com comunismos, socialismos, aparelhamentos de Estado, corrupções, projetos autoritários, etc. Aliás, o moderno movimento homossexual nasceu no mais liberal dos países, os EUA, com a revolta de Stonewall em 1969, e lá o máximo de socialismo que eles aceitam é o Obama (piada, né?). Por outro lado, nos países comunistas, propriamente ditos, as pessoas homossexuais foram duramente perseguidas e inclusive mortas (ver Antes que Anoiteça, sobre a perseguição ao escritor homossexual Reinaldo Arenas; imagem dele no vídeo abaixo). Como também disse, em artigo recente, o interesse das esquerdas pela causa homossexual é coisa bem nova, movido pela evidência dos movimentos homossexuais mundo afora. Enfim, mais um movimento de oprimidos para servir como correia de transmissão para os projetos de poder do Partido.

O caso Erenice no Jornal Nacional

Mais um dos exemplos do processo de aparelhamento do Estado brasileiro pelo partido fascista e corrupto dos trabalhadores (PFCT). Erenice Guerra, amiga e braço-direito de Dilma Roussef, trambicava para valer enquanto Roussef ainda era a Ministra da Casa Civil. Naturalmente, Dilma sabia de tudo, mas aprendeu com seu "padim", Lula, a dizer que não sabia de nada e rifou a ex-companheira, como da Silva já havia feito com o mafioso Dirceu e vários outros cumpanheiros aloprados. Depois, Erenice volta, como Dirceu voltou, embora ainda responda processo pelo mensalão, do qual pretende sair "inocentado". 

Com todos os órgãos de Estado aparelhados, incluindo a Justiça, eles ficam impunes e naturalmente reincidem nos crimes enquanto culpam as vítimas de seus malfeitos pela violência que sofreram. A vitória de Dilma aponta para o aprofundamento desse processo de aparelhamento e para a instalação de um regime autoritário no Brasil sem mais subterfúgios, como ficou bem expresso na fala de Zé Dirceu, no início da semana na Bahia, quando afirmou que, com Dilma, o projeto de poder do PT será efetivado.  

Pelo menos, todo esse horror tem conseguido acordar a oposição e uma parcela ainda pequena porém aguerrida da sociedade brasileira. Temos que insistir: não vote 13. Dá azar, dá roubo, dá ditadura! Para quem não tomou conhecimento, segue o vídeo do Jornal Nacional que resume a esculhambação geral.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Que ironia! Os petistas reabilitam seus opositores! Carlos Lacerda que o diga!

Participo de algumas listas de discussão na Internet cheias de petistas, seus aspones e assemelhados. Na sexta passada, enviei um texto, aproveitando para convidar os listeiros a escutar a sabatina de Serra no Globo, com o título Direitos LGBT só existem em democracias. Um petista daqueles caprichados que, há tempos resolveu encarnar em minha pele pois  não o deixei postar um seu comentário hipócrita aqui no blog, resolveu dizer que tinha me baixado o Carlos Lacerda devido a meu alerta sobres os ares antidemocráticos do atual governo e da canditadura Dilma Roussef.

Como a resposta ficou bem longa, passando por dados históricos, etc.,  resolvi transcrevê-la aqui no blog em forma de postagem. Mariante é o sobrenome do petista em questão. Carlos Lacerda foi um político carioca da União Democrática Nacional (UDN) que deu apoio à deposição do presidente João Goulart, em 1964, pelos militares, por suspeitas de querer instaurar um regime comunista no Brasil. Lacerda supôs que a intervenção militar seria breve, pois tinha inclusive intenção de candidatar-se à presidência, mas acabou inclusive tendo seus direitos políticos cassados pela ditadura militar.  Ao fim da postagem, três vídeos com falas de Lula e Dilma e um documentário sobre a vida em Cuba. 
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Carlos Lacerda
Bom, primeiro, uma gracinha. Acho que o Mariante é a versão "socialista" da Xuxa. Toda a mensagem dele começa com essa coisa de geeente. Ou de repente esse tique é obra do marqueteiro da Dilma em ação tentando fazê-lo parecer assim afetuoso.

Como o comissário Mariante adora citar situações e personagens históricos de forma descontextualizada, vale lembrar que não só Lacerda mas também boa parte da população, além da imprensa em peso, deram apoio à deposição do João Goulart pelos militares. E havia razões de sobra para tal. O mundo vivia a Guerra Fria (no período do Jango houve inclusive a crise dos mísseis em Cuba) e, embora ainda não se soubesse muito sobre os regimes de terror do chamado socialismo real, sabia-se que estes eram ditaduras. Goulart, embora se dissesse independente, era de fato muito ambíguo mantendo boas relações com os EUA mas igualmente com Cuba, enquanto também passeava pela URSS e a China. No Brasil, seu cunhado Brizola mostrava pendores pouco democráticos, influenciado pela revolução cubana. Mais do que influenciados pela revolução cubana, os dirigentes das chamadas Ligas Camponesas (que buscavam a reforma agrária) recebiam treinamento militar em Cuba e planejavam criar uma aliança operário-camponesa com a finalidade de instalar uma Revolução Socialista no Brasil.

Jango pode ter sido apenas um reformista bem intencionado, apesar de suas ligações com a esquerda "revolucionária", que apenas resolveu fazer estatizações num momento inadequado, no meio de alta inflação, com muitas greves e outros agitos, mas acabou engolfado por seus próprios erros e pelos que queriam dar golpes à esquerda ou à direita. No meio dessa zona, o povo amedrontado apoiou os militares, para se livrar do perigo comunista, mas os militares, ao contrário do que se previa, após tomar o poder, não encaminharam novas eleições, não entregaram o poder de volta aos civis. Instalaram a ditadura deles.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

LOL: Versão não censurada do segredo de Gerson na novela Passione!

Com exclusividade, apresentamos a versão censurada da cena onde se revela o segredo de Gerson, papel de Marcello Antony em Passione.
Depois de tantas suposições, a verdade realmente é aterradora.

Não deixe de ver!



Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites