"Neurosexismo":

contra o progresso da igualdade de gênero - e da própria ciência

O sequestro do termo "gênero":

uma perspectiva feminista do transgenerismo

Mulheres na Ciência

Estudantes criam bactéria que come o plástico dos oceanos

Mulheres na Ciência:

Duas barreiras que afastam as mulheres da ciência

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

O espírito dos tempos: Vanusa cantando o Hino Nacional

Beeem, não dava para não comentar o vídeo da Vanusa acabando com o Hino Nacional. É tragicômico, né? Foi a interpretação mais etílica que já ouvi do hino pátrio, embora a cantora jure que não bebeu nada. Diz que foi tudo culpa de uma labirintite.

Tá certo que a letra do dito sempre foi meio surreal, com inversões na sequência lógica das frases e imagens de tirar o fôlego....kkkk, mas o ritmo sempre foi de hino, aquela coisa ufanista, gloriosa.

Agora, a Vanusa, mamada não sei de quê, fez o hino da loura doida e tirou toda a retumbância da música, além de criar em cima de uma letra já pra lá de criativa. E olhe que ela estava lendo a letra, com óculos e tudo.

Ficou tudo assim arrastado, em ritmo de 51. Acho que é o espírito dos tempos, a trilha sonora do Brasil em que vivemos.


E o Hino Nacional em sua versão sóbria....kkkkkk

sábado, 29 de agosto de 2009

29 de agosto - Dia Nacional de Combate ao Fumo

Neste dia nacional de combate ao fumo, vale sempre lembrar a necessidade de conscientizar também as lésbicas sobre a importância de não fumar. Entre as mulheres que fumam, o número de lésbicas é praticamente o dobro das demais fumantes. Leiam o texto que fiz sobre o assunto no site da Um Outro Olhar.

Participem também do abaixo-assinado do INCA-ACTBR pelo Brasil livre de fumo em ambientes fechados. O tema deste ano do dia nacional de combate ao fumo é "Quem não fuma não é obrigado a fumar."

Quem não fuma não é obrigado a fumar

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

19 de agosto: Feliz Dia do Orgulho Lésbico!


Redigi livreto sobre a primeira manifestação histórica de lésbicas contra o preconceito que deu origem ao dia 19 de agosto (orgulho lésbico) com fotos e textos de época bem como uma pequena cronologia do Movimento Lésbico nacional e internacional com base em seus momentos-chave, eventos pioneiros ou que levaram a desdobramentos ou mudanças de rumo na organização lésbica.

A edição das imagens da manifestação (quase todas têm copyrigth da Folha Imagem), se baseou na sequência dos acontecimentos, com recorte para a visibilidade d@s ativistas da época que estiveram presentes à manifestação, e o pioneirismo de algumas personalidades no trato da questão lésbica e homossexual no Brasil, como na foto que aparecem Cassandra Rios, Irede Cardoso, Rosely Roth e Ubiratan da Costa e Silva (acervo da Um Outro Olhar).

Índice:
I. Memória da primeira manifestação lésbica contra o preconceito que deu origem ao Dia do Orgulho das Lésbicas no Brasil, com sequência de fotos e textos de época.

II. Histórico da trajetória da principal protagonista da manifestação, Rosely Roth, com fotos e textos de época.

III. Cronologia do Movimento Lésbico Nacional e Internacional em comemoração aos 30 anos de organização lésbica no Brasil

19 de Agosto - Dia do Orgulho Lésbico no Brasil -PDF
19 de Agosto - Dia do Orgulho Lésbico no Brasil -XPS



Heroes, David Bowie

Intérprete - Wallflowers
I, I wish you could swim
Like the dolphins, like dolphins can swim
Though nothing, nothing will keep us together
We can beat them
Forever and ever
We can be heroes
Just for one day

Eu, eu gostaria que você pudesse nadar
Como os golfinhos, como os golfinhos conseguem nadar
Embora nada, nada venha a nos manter junt@s

Nós podemos derrotá-los
continuamente
Nós podemos ser heróis,
mesmo só por um dia

Oh I, I will be king
And you, you will be queen
Though nothing, nothing will drive them away
We can be heroes
Just for one day
We can be, yes!
It's just for one day

Eu, eu serei rei
E você, você será rainha
Embora nada, nada possa afastá-los
Nós podemos ser heróis, só por um dia
Nós podemos derrotá-los
Sim, nós podemos ser heróis
mesmo só por um dia

I, I remember
Standing by the wall
The guns, they shot above our heads
And we kissed, as though nothing could fall
And the shame was on the other side
Oh, we can beat them, forever and ever
Then we could be heroes
Just for one day

Eu, eu me lembro
Em pé próximo ao muro
As armas, eles atiraram por sobre nossas cabeças
E nós nos beijamos como se nada pudesse nos atingir
E a vergonha não era nossa.
Nós podemos derrotá-los continuamente
Então podemos ser heróis
Mesmo só por um dia

We can be heroes
We can be heroes
We can be heroes
We can be heroes,
just for one day

Nós podemos ser heróis
Nós podemos ser heróis
nós podemos ser heróis
Só por um dia

sábado, 15 de agosto de 2009

40 anos de Woodstock -15-17 de agosto


Há 40 anos acontecia na cidade de Bethel, em Nova Iorque, o festival de Woodstock, ícone da geração paz e amor, do hippismo, da contracultura. De fato, o festival era para ter ocorrido na cidade de Woodstock mas o número de pessoas excedeu os limites do local onde seria o evento.

Os organizadores foram então para outra cidade, numa fazenda que comportaria um público de 200.000 pessoas, mas o nome permaneceu Woodstock por ser mais sonoro. O público previsto, contudo, excedeu em 300.000 a conta dos organizadores, gerando congestionamentos monstros, problemas sanitários, alimentares e médicos (não havia infra-estrutura para tanta gente).

Apesar do geral improvisado, o clima paz e amor realmente salvou a festa, que teve poucos incidentes apesar do contexto, também alimentada pela perfomance de alguns dos maiores artistas da época. São tantos os nomes memoráveis que fica difícil recordar todos. Basta lembrar, contudo, que lá estiveram presentes Jimi Hendrix, Janis Joplin, The Who, Joe Cocker... para se ter uma idéia do tamanho do documento.

Sobretudo lá esteve presente o espírito de um tempo, um daqueles raros clarões provocados pelo raio da solidariedade e da liberdade em meio à eterna noite escura e tempestuosa que caracteriza a história da humanidade. Mesmo a faceta sombria da contracultura com seus excessos (de drogas, de sexo, de autofagia) deu pouco as caras, e reinou sua face solar, pacifista, solidária, ligada à natureza, ao orientalismo. Ao contrário do que ocorreria em Altamont, na Califórnia, em dezembro do mesmo ano e que muitos consideram como o início do fim do sonho, em Woodstock reinou mesmo a música, a paz e o amor.

Tinha 15 anos quando toda essa movimentação aconteceu e lembro de como pareciam mais fáceis os contatos entre as pessoas, os relacionamentos humanos, da qualidade moral, intelectual e inclusive espiritual de toda aquela geração. Para o mundo de hoje, tão pobre de tudo isso, vale a pena lembrar que outros horizontes são sim possíveis, ainda que sem os excessos daqueles tempos, sobretudo sem drogas.

Fica aqui então meu pequeno tributo aos 40 anos de Woodstock, com a postagem de 2 vídeos de ícones do evento e da época: Janis Joplin, com toda sua visceralidade, e Jimmi Hendrix, pra lá de genial.

Ah, e vale a pena ver o filme Woodstock (para quem ainda não viu). E ficar de olho nas novidades que estão sendo lançadas em decorrência dos 40 anos do evento.


sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Vale-tudo entre mulheres. Vai encarar?



Sábado agora à noite, dia 15/08, duas mulheres irão se enfrentar no Strikeforce, um dos principais torneios de vale-tudo dos Estados Unidos.

São elas a norte-americana Gina Carano, 27 anos (a morena), e a brasileira Cristiane "Cyborg" Santos, 24 anos (a loura da foto), naquele que vem sendo considerado o maior combate de todos os tempos da modalidade entre mulheres.

Gina que também participa de seriados e filmes, tem um cartel de sete vitórias, em sete lutas, sendo três por nocaute e uma por finalização. Já nossa conterranea, a brasileira Cris Cyborg, tem sete vitórias, em sete lutas, cinco delas por nocaute. Uauuu!

Já vi muita luta marcial entre mulheres, boxe, kung fu, etc., mas não vale-tudo. Será que se agarram tanto quanto os mancebos?! E dão todas aquelas inacreditáveis porradas? O título é pelos leves, mas considerando a modalidade de luta, dá pra imaginar o que significa. Ai meus peitos!

Não descobri se a luta vai ser transmitida por algum canal de TV paga, mas, se for passar, aviso. Dizem que nossa "brazuca" aí da foto vai passar por cima da gringa.

Vejam o vídeo abaixo para dar um palpite sobre esse tipo de luta e a possível ganhadora do título de campeã da porrada. Achei a Gina muito produzida, e a nossa "brazuca" meio Mike Styson. Mesmo assim não encararia nenhuma delas nem pra dizer prazer em conhecê-la....rsss Etcha!

Atualização (16/08): A primeira campeã de um torneio renomado de MMA (Vale-Tudo) na história desse esporte é a brasileira Cris Cyborg, de Curitiba. Cris surrou a americana Gina Carano, ontem, para ser coroada campeã do StrikeForce.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Lei antifumo: autoritária ou pró-vida?

Entrou em vigor hoje a lei antifumo, 13.541/09, que proíbe o fumo em locais fechados de uso coletivo, públicos ou privados, sancionada pelo governador José Serra (PSDB), em todo o Estado de São Paulo. A legislação vale para o consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos, e os fumódromos não serão mais permitidos.
Fumantes chiaram, dizendo que a lei é autoritária, mas, como não dá pra colocar redoma em torno deles e impedir que sua fumacinha cancerígena atinja os não fumantes, sou totalmente favorável à nova lei e espero que venha de fato a ser cumprida.

Nem preciso saber que, das 8 doenças que mais matam pessoas no mundo, 6 estão relacionadas ao tabaco, para detestar cigarros e seus consumidores. Nem preciso saber que 100 milhões (isso mesmo) de pessoas morreram no século passado por causa do fumo, para detestar cigarros e seus consumidores. Nem preciso saber que 90% dos casos de câncer do pulmão, 75% dos problemas cardíacos e 25% das bronquites e enfisemas são causados pelo fumo, para detestar cigarros e seus consumidores.

Me basta sentir aquela fumacinha insuportável entrando pelas narinas, e meu nariz começar a ficar entupido, minha garganta e pulmões começarem a arder para eu detestar o cigarro e seus consumidores. Na prática os fumantes sempre obrigaram os não fumantes a suportar seu vício, segregando o espaço público com suas baforadas. E nunca tiveram respeito por fumódromos coisa nenhuma!

Daí que esse papo de dizer que lei antifumo é coisa de nazista é conversa mole para boi dormir. O higenismo dos nazistas era o aspecto não-doentio da doutrina exatamente. O espaço da gente termina onde começa o espaço do outro, mas a fumaça do cigarro não entende isso nem seus produtores. Então, é preciso mesmo obrigá-los a ser menos egoístas. Lei super bem vinda!!!

Mais informações: http://www.leiantifumo.sp.gov.br/

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Admirável mundo novo em meio à perigosa velharia ideológica e política

Não canso de me admirar dos avanços tecnológicos da humanidade. Em futuro próximo, os cientistas prometem até a imortalidade seja por meio da biotecnologia ou da nanotecnologia. Pesquisando o mecanismo de regeneração celular de certos tipos de águas-vivas, como a Turritopsis dohrnii, que rejuvenescem suas células indefinidamente, ou a integração de sistemas orgânicos com sistemas robóticos, os cientistas afirmam que, em 50 anos, como cyborgs ou águas-vivas humanas, não morreremos mais de velhice pelo menos. Pena que acho difícil estar por aqui para ver tal feito.

Mas nem é necessário ir tão além no futuro para ficar admirada com as inovações tecnológicas. Agora mesmo, cientistas australianos inventaram uma lente de contato que cura a cegueira de pessoas com problemas na córnea. Eles retiram 1 mm do limbo corneal ou conjuntiva do olho do paciente, regiões ricas em células-tronco que são colocadas numa lente de contato e mergulhadas em incubadora, por 10 dias, para que as células se multipliquem. Depois o paciente coloca a lente e, em duas semanas, as células-tronco se fundem com a córnea, substituindo as células anteriores danificadas. A lente então pode ser retirada. Em três meses, a visão dos cegos começa a retornar. Como as células-tronco são do próprio paciente, não sofrem rejeição pelo organismo. O criador da ténica, o oftalmologista Nick di Girolamo, da Universidade de New South Wales, testou sua invenção em três pacientes que recuperaram boa parte da visão. Segundo o cientista, o procedimento ainda está em fase de testes, mas, em breve, poderá ser utilizado em qualquer hospital.

Não é incrível? Pois, é! E eu poderia citar inúmeros outros exemplos desse admirável mundo novo tecnológico, porém não é o caso para essa breve postagem. Os exemplos acima estão aqui apenas como comparativos do contraste gritante entre a evolução tecnológica humana e a situação sócio-econômica-política-ideológica do mundo atual.

Após os auspiciosos anos 60, com todas suas revoluções culturais e políticas, após a derrocada dos regimes totalitários tanto de direita quanto de esquerda, na América Latina, na Europa, na Ásia, tudo enfim parecia se encaminhar para o tal mundo melhor de que tanto se fala, apesar ainda de tantos pesares. Mas, que nada! De um lado, o capitalismo se globalizou e, desregulado, incentivou um consumismo e um individualismo sem precedentes. De outro, na reviravolta conservadora, os fundamentalistas religiosos retornaram querendo novamente unir Igrejas e Estado. Ainda de outro, as viúvas da queda do muro de Berlim se reuniram na América Latina, no chamado Foro de São Paulo, não só para prantear seus mortos como também para organizar um vudu a fim de trazê-los de volta à vida.

O resultado é que temos hoje um planeta ameaçado pelo consumismo desenfreado capitalista; sociedades vivendo sob governos religiosos de cunho autoritário, com mentalidade e práticas medievais, e uma América Latina gravemente ameaçada de repetir as aventuras totalitárias da Europa dos tempos da Guerra Fria. Tudo isso sob o olhar complacente da chamada comunidade internacional que parece mais perdida que cego em tiroteio, para não fugir muito do eixo oftalmológico.

Como exemplos, no Irã, o descontentamento popular, com a reeleição, tida como fraudulenta, do presidente Mahmoud Ahmadinejad, foi reprimido à bala; na América Latrina, o caudilho Hugo Chávez avança na destruição da democracia venezuelana e arremete contra países vizinhos em conflitos com a Colômbia, por via direta, e com Honduras, através de seu esbirro Manuel Zelaya (parece um Odorico Paraguaçu de bigode) que, escorraçado em sua tentativa de implantar o modelito bolivariano no país, posa de vítima aos olhos do mundo, um mundo que, decididamente, parece estar precisando usar a lente de células-tronco do doutor Nick di Girolamo citado acima.

Ficando por aqui em nosso quintal latino-americano, hoje mesmo a imprensa nacional e internacional destaca as insofismáveis provas de que Hugo Chávez municiou as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), os terroristas maoístas narcotraficantes, com munição pesada comprada da Suécia, e negocia até mísseis, rádios e fuzis com os facínoras. Isso sem falar também das negociações do caudilho com os aiatolás do Irã, em cooperações militares e nucleares somadas à importação de terroristas islâmicos para solo regional (como se não bastassem os da FARC).

E pior que isso só mesmo o governo brasileiro que, com vários de seus membros signatários do Foro de São Paulo, à parte os fisiologistas próprios e aliados, apóia “moral”, política e economicamente (com o dinheiro dos brasileiros) o caudilho Chávez e todos seus esbirros (Evo Morales, Raul Correa, Zelaya...) enquanto também luta encarnecidamente para se perpetuar no poder através dos bolsas-esmolas da vida e do solapamento da democracia por meio da corrupção generalizada e do aparelhamento do Estado. Mais: nem a cavalaria americana a gente está podendo chamar em nosso auxílio porque, agora capitaneada pelo presidente Barack Banana, anda a fazer média com ditadores, como se fosse possível fazer média com essa gente.

Que coisa, a humanidade não aprende! Todas as vezes que nações democráticas tentaram fazer média com tiranetes o resultado foi apenas e tão somente a expansão da tirania. Talvez ninguém mais lembre, porém melhor refrescar a memória: todo mundo bajulou Hitler antes de ele deflagrar abertamente a II Guerra Mundial. E ele foi dizendo ao que vinha bem antes de se mostrar em todo o seu tenebroso esplendor. Ocorreu o mesmo com tiranos mais recentes, com os mesmos tristes resultados. E de novo todo mundo fazendo vista grossa aos desmandos dos Hugos Chávez da vida? Parodiando o capitão Nascimento, isso vai dar merda!!!

Pois é! Enquanto cientistas apontam para um futuro em que a natureza nem terá mais o poder de nos matar, pois poderemos viver per seculum seculorum, os políticos ameaçam tirar das populações até o tempo natural de vida ou mantê-las na espécie de morte-em-vida que é a sobrevida sob regimes totalitários. Vamos acordar?

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites