quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Canção da tarde no campo




















Caminho do campo verde
estrada depois de estrada.
Cerca de flores, palmeiras,
serra azul, água calada.

Eu ando sozinha
no meio do vale.
Mas a tarde é minha.

Meus pés vão pisando a terra
Que é a imagem da minha vida:
tão vazia, mas tão bela,
tão certa, mas tão perdida!

Eu ando sozinha
por cima de pedras.
Mas a tarde é minha.

Os meus passos no caminho
são como os passos da lua;
vou chegando, vais fugindo,
minha alma é a sombra da tua.

Eu ando sozinha
por dentro de bosques.
Mas a fonte é minha.

De tanto olhar para longe,
não vejo o que passa perto,
Subo monte, desço monte.
meu peito é puro deserto.

Eu ando sozinha
ao longo da noite.
Mas a estrela é minha.

©Cecília Meireles

Imagem: Márcio Camargo

3 comentários:

Linda poesia! Cecília Meirelles é oo máximo para mim.

Abs,

Joanna

Miriam,

Você é mesmo muito chic.Nada como deparar-se com esse quadro e a poesia de Cecília Meireles.Boa sexta-feira.Beijos.

Postar um comentário

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites